Copa 2018

Novo titular, Danilo refaz velho caminho para Teresópolis guiado pelo pai

Arquivo Pessoal
O pai José Luiz é incentivador da carreira do filho Danilo Imagem: Arquivo Pessoal

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Teresópolis

21/05/2018 04h00

José Luiz, mais conhecido como Baiano, ganhou a vida como motorista de caminhão. Mas, entre todas as viagens já feitas, aquela que tem marcada para esta segunda-feira (21) provavelmente será a mais especial de todas.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

De Bicas, no interior de Minas, Baiano sairá ao volante para repetir um caminho que é tradicional desde que o filho Danilo passou a atuar pelas seleções de base do Brasil e foi campeão mundial sub-20. De carro, por 165 quilômetros, ele levará o novo lateral direito titular de Tite até Teresópolis para o início da preparação da Copa do Mundo.

Os dois primeiros dias na Granja Comary serão só de exames, mas a lesão de Fagner fez com que Tite e a comissão técnica brasileira já adiantassem. Coringa de Pep Guardiola na recente conquista do Campeonato Inglês, Danilo inicia a preparação como titular e, provavelmente, segue assim até o amistoso do próximo dia 3, contra a Croácia, em Liverpool.

Há uma semana, com todo o abalo pela lesão que tirou Daniel Alves da Copa, a confiança em Danilo não era tão grande assim. Enquanto Tite anunciava a relação de convocados e, em Bicas, Baiano ia às lágrimas, ele festejava a conquista do Inglês. Nervoso, recusou um convite de Fernandinho para assistir ao anúncio da lista e deixou o celular no bolso. Quando o aparelho começou a vibrar sem parar, veio a certeza de que estava entre os 23.  

Os cuidados defensivos e a confiança de volta

Paul Ellis/AFP Photo
Danilo foi campeão inglês com o Manchester City Imagem: Paul Ellis/AFP Photo

Titular em apenas um dos 19 jogos disputados sob o comando de Tite, quando deu assistência para gol de Gabriel Jesus contra o Japão, Danilo terá atenção especial da comissão técnica. A avaliação do treinador e seus auxiliares é que o pedido por Guardiola a um lateral é diferente do que o sistema de jogo do Brasil pede.

Essas adaptações entre modelos de jogo são normais, mas para um novo defensor é certo que terá atenção especial de Tite. Vídeos e conversas se somam aos treinamentos para que Danilo possa dar segurança à retaguarda sem perder o que tem de melhor, um vigor que o permitia rivalizar com Cristiano Ronaldo e Gareth Bale em testes físicos do Real. Para o auxiliar Cléber Xavier, há semelhanças em alguns aspectos com Dani Alves, a despeito de diferenças.

“Danilo traz muitas coisas que se parecem ao Dani. O posicionamento com Danilo será de uma construção por trás, o mesmo do Daniel. Na hora do ataque, o Daniel dá mais opções na construção, mas não faz essa ultrapassagem que o Danilo dá. Defensivamente, temos que usar o que ele tem: força, estatura, posicionamento e temos um trabalho defensivo com mais cuidados em relação ao Guardiola”, destacou Cléber.

Para o novo lateral direito de Tite, um diferencial readquirido na última temporada foi a confiança. Adquirido a peso de ouro pelo Real Madrid há três anos, por 31,5 milhões de euros, nunca conseguiu convencer completamente e sofreu com as críticas da exigente torcida merengue. Um telefonema de Guardiola, treinamentos, incentivos e 38 jogos com a camisa do City trataram de reaproximá-lo de seu melhor nível, mesmo como reserva de Kyle Walker na lateral direita. Mesmo assim, teve partidas consecutivas e, assim, algo que sentiu falta em Madri.

As voltas que a vida deu para Danilo e Dani Alves

Pedro Martins/MoWa Press
Imagem: Pedro Martins/MoWa Press

Se agora retorna à seleção por uma brecha deixada por Daniel Alves em função de sua lesão, há três anos o cenário foi o oposto. Danilo era o dono da posição sob o comando de Dunga às vésperas da Copa América 2015, mas teve uma lesão de tornozelo importante em amistoso contra o México. Ele, que era absoluto, pouco a pouco saiu de cena para que Dani recuperasse o espaço perdido.  

Na temporada seguinte, a 2015-16, Danilo jogou à base de infiltrações para que as dores pelos ligamentos rompidos não fossem tão sentidas. Mesmo assim, conviveu com problemas na região e, apesar do título europeu com direito a titularidade na final, não conseguiu ser o mesmo jogador de antes. Fez cirurgia, voltou a jogar melhor, mas Carvajal já havia se tornado absoluto. 

Trabalhador ao extremo, o que ajuda a explicar o físico privilegiado, Danilo tem academia em casa, fisioterapeuta próprio e faz trabalhos extras. Assim, agradou Guardiola e o auxiliar Domenec Torrent, espécie de avalista da convocação de Tite. Sylvinho, auxiliar e ex-jogador do City, se comunicou com ele e ouviu boas referências.

Apesar de dúvidas na seleção, porque jogou mais vezes como lateral esquerdo que direito na Inglaterra, e também por ter falhado em jogo que Tite viu in loco, na Ucrânia, Danilo venceu a disputa com Rafinha. Para, enfim, fazer o caminho para a Copa na carona do pai José Luiz. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo