Copa 2018

Tite queria amistoso, mas seleção só dá "tchau" discreto aos brasileiros

Lucas Figueiredo/CBF
Seleção treina para patrocinadores e convidados em Teresópolis Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Teresópolis (RJ)

25/05/2018 04h00

A história do Brasil nas Copas do Mundo, em muitas edições, começou com jogos marcantes para a torcida brasileira antes do embarque ao exterior. Tite desejava que também fosse dessa maneira em 2018, mas não foi possível. Nesta sexta-feira (25), em Teresópolis, há a última oportunidade para que seleção e torcedores interajam.  

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

A CBF deverá definir até o período da tarde se permite, enfim, a entrada de torcedores na Granja Comary, onde os jogadores trabalham desde a última segunda. Por enquanto, só mesmo patrocinadores da entidade, nos últimos dois dias, puderam acompanhar os atletas mais de perto, casos da companhia aérea Gol e do banco Itaú. O treino desta sexta é a chance final, já que a seleção faz, no sábado, sua última atividade, que será fechada. 

A ideia inicial de Tite era diferente. O treinador esperava que pudesse fazer um amistoso de despedida no Rio de Janeiro, no Maracanã, para saudar torcedores e absorver uma energia positiva antes do embarque à Europa.

Em março de 2002, por exemplo, Kaká, Kléberson e Gilberto Silva brilharam em amistoso contra a Islândia e convenceram Felipão sobre convocação. Quatro anos antes, outro jogo marcante: um Brasil x Argentina no Rio em que Raí foi vaiado e perdeu o Mundial. Alguns fatores de calendário, porém, tornaram esse jogo inviável em 2018:

- A regulamentação da Fifa só permitia o jogo a partir do dia 28 de maio. O embarque para Londres, porém, será no dia 27.  

- A seleção considera os dias de preparação na Inglaterra como fundamentais para uma transição de fuso-horário e clima que serão encontrados na Rússia. 

- A prioridade para os primeiros dias de preparação é cuidar da parte física dos jogadores. Assim, jogar antes do dia 3 não seria positivo. 

Lucas Figueiredo/CBF
Willian concede autógrafos após treino de quinta da seleção Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Diferentemente da maioria esmagadora das seleções, que em geral optaram por uma preparação a partir da semana que vem, o Brasil decidiu antecipar esse período desde a última segunda-feira, justamente para não deixar o contato com o país de fora do roteiro. Não apenas para tentar estabelecer algum contato com a torcida, mas também para agradar os patrocinadores. O período também permite o uso do novo Centro de Excelência, que custou R$ 17 milhões.

Ao menos a parte da torcida, até aqui, ficou distante de ser cumprida. Só no terceiro dia de trabalhos em Teresópolis é que a Granja Comary começou a receber alguns fãs da seleção, mas o furor ficou longe do que foi vivido em 2014, por exemplo.

A preparação brasileira seguirá o seguinte roteiro: embarque para Londres no dia 27; amistoso em Liverpool no dia 3 de junho, contra a Croácia; e amistoso em Viena, no dia 10 de junho, diante da Áustria. Logo após esse jogo, a delegação segue para Sochi, na Rússia, onde terminará a preparação para a estreia no Mundial, no dia 17, contra a Suíça, em Rostov. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo