Copa 2018

Viciada em NBA, seleção se inspira em espírito de LeBron e tática de Curry

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Londres

31/05/2018 04h00

Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors se reencontram na final da NBA a partir desta quinta-feira e, bem distante de Oakland, palco do primeiro jogo, a seleção brasileira que se prepara para a Copa do Mundo acompanhará tudo com atenção. Até porque o que acontece nas quadras do basquete americano já serviu de norte para Tite e sua equipe em algumas situações. Dentro e fora das quatro linhas.

O astro LeBron James já foi tratado como exemplo por Tite em duas situações práticas que remetem ao espírito que ele espera do time. Em uma delas, depois de vencer a Argentina por 3 a 0 no Mineirão em 2016, o treinador citou o desempenho defensivo de LeBron nas finais daquele ano. Em especial, um toco marcante sobre Andre Iguodala, dos Warriors.

"Alguns conceitos que eu entendo ao longo do tempo não mudam. O Cavaliers foi campeão da NBA com seu maior astro fazendo atuação defensiva. Todos gritando ‘defesa, defesa'. Às vezes precisamos valorizar atuações defensivas, Neymar e Gabriel Jesus se auxiliando. Tanto que saiu o gol dos pés dos dois. Os dois fizeram compensações. O conjunto é forte", comentou na ocasião.

LeBron, em outro momento, também teve o comportamento exemplificado por Tite, que contou ao site Player's  Tribune o conteúdo de vídeo mostrado aos atletas antes de sua estreia contra o Equador. 

“Era das finais da NBA, quando o Cleveland enfrentou o Golden State Warriors. E esse jogo foi muito bonito para mim, porque o LeBron James passa a bola para o Kyrie Irving, e o Kyrie faz um arremesso forte e perde o lance. Mas o que faz o LeBron? Ele é a estrela principal. Ele poderia ser um daqueles batendo palmas, dizendo: 'Por que você tentou esse arremesso?' Em vez disso, LeBron estava super focado. Ele pegou o rebote e o que fez em seguida? LeBron tentou o arremesso ele mesmo? Não, ele passou a bola direto para o Kyrie, que acertou desta vez”, contou Tite.

Ezra Shaw/Getty Images
Imagem: Ezra Shaw/Getty Images

Em campo, a NBA também se faz presente como inspiração. Recentemente, Tite buscou em um dos principais jogadores da liga americana um conceito para otimizar a performance do seu craque. Assim como o Golden State Warriors utiliza uma variação tática para liberar o astro Stephen Curry em quadra, o treinador da seleção faz para ter Neymar livre no “um contra um”.

A tática se resume em puxar a marcação adversária para um lado e liberar o jogador de maior potencial para o outro. Em quadra, Draymond  Green, Klay  Thompson e um pivô são capazes de “abrir” a quadra para Curry ou Kevin Durant jogarem, de forma simplificada. No campo, Gabriel Jesus, Philippe Coutinho e um terceiro elemento de ataque atraem a marcação para a direita, liberando Neymar na esquerda contra um marcador e maior espaço para atacar.

O uso de paralelos entre futebol e basquete também foi usado por Tite na recente convocação para a Copa do Mundo como justificativa pela opção por alguns atletas, como Taison. "O Nenê, da NBA, fez uma observação e falou em consistência de carreira, em consistência de momento e em consistência na sequência do trabalho. Talvez isso, a sequência na seleção e na própria carreira de cada um, credencie o jogador ao momento máximo, que é estar na seleção brasileira, principalmente em uma Copa do Mundo".

Basquete americano é mania entre os jogadores e comissão

Nike/Divulgação
Neymar lançou chuteira com marca de Michael Jordan Imagem: Nike/Divulgação

Neymar, que possui uma coleção de camisas da NBA, tem no ala-pivô Draymond Green, dos Warriors, um amigo próximo. Os dois já viajaram juntos no avião do craque brasileiro para férias em Ibiza. Da mesma franquia, Curry, a inspiração tática para Tite, é ídolo declarado de Neymar, que imitou até seu corte de cabelo e o conheceu em camarote do Golden State.

Michael Jordan, ainda o maior jogador da história da NBA, é outro ídolo de Neymar, que já teve até uma chuteira com a marca do ex-astro dos Bulls. Tite também costuma citar a biografia de Jordan como um dos livros mais interessantes que já leu. Quando ainda treinava o Corinthians, presentou alguns atletas com exemplares dessa obra. Em março, outro livro de basquete foi alvo de um gesto por parte de Tite e sua comissão. Na Rússia para amistoso, eles receberam versões de "Liderar com o coração", escrito por Coach K, como é mais conhecido o treinador Mike Krzyzewski. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo