Copa 2018

Dependente? Lesão dá nova chance de seleção provar que há vida sem Neymar

Lucas Figueiredo/CBF
Sem NEymar, seleção brasileira aposta em nomes como Paulinho (e), Gabriel Jesus (c) e Philippe Coutinho (d) Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Londres (Inglaterra)

01/06/2018 04h00

Minutos antes de a bola rolar para o fatídico 7 a 1 na Copa do Mundo de 2014, a seleção brasileira escutava o hino nacional e deixava claro o tamanho do baque sofrido nas quartas de final. Emocionados, o goleiro Júlio César e o zagueiro David Luiz seguravam uma camisa do craque, que desfalcava o time contra a Alemanha após sofrer uma forte pancada nas costas diante da Colômbia. Tudo que Tite e comissão técnica não querem para 2018 é uma dependência excessiva do camisa 10 e um abalo emocional grande por qualquer coisa que envolva a grande estrela do grupo.

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

O primeiro teste em cenário semelhante mostrou saldo positivo. Sem Neymar, o Brasil venceu a Alemanha na casa da seleção adversária, em março, e teve bom desempenho contra a Rússia, em Moscou, na mesma data Fifa.

A fase final da recuperação do camisa 10 fez com que a equipe realize mais uma partida sem seu principal jogador – ao menos durante os primeiros 45 minutos. É mais uma chance de a seleção espantar a dependência que Tite e seus auxiliares tanto temem.

Logo no primeiro dia de trabalho, o coordenador de seleções, Edu Gaspar, abordou o assunto e a preocupação com toda pressão que envolve Neymar em seu retorno após um problema no pé direito.

“Vamos criar uma base para que ele possa ganhar de novo a confiança e vá subindo sem pressão exagerada quanto ao seu desempenho”, disse Edu.

E o que se viu nas primeiras semanas de treino foi exatamente uma seleção conseguindo trabalhar normalmente e desviando o foco da pressão em Neymar.

Na última quinta (31), Tite deixou o camisa 10 na reserva e repetiu o time que suportou bem sua ausência em março – com Danilo substituindo o lesionado Daniel Alves.

No meio, Philippe Coutinho fez a função de Neymar, atuando pela faixa esquerda de ataque, enquanto William assumiu o lado direito. Fernandinho fez companhia a Casemiro e Paulinho na parte mais recuada.

A pouco mais de duas semanas do Mundial, Tite encara a Croácia no domingo (3), em Liverpool, para reforçar a nova tendência e a evolução mental da seleção brasileira.

Com Neymar ainda longe dos 100%, a equipe ainda joga no dia 10, em Viena, contra a Áustria. A estreia na Copa será dia 17, contra a Suíça, em Rostov. A expectativa é que o jogador atinja seu auge físico e técnico até as oitavas de final, previstas para o início de julho.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo