Topo

Copa 2018


Argentina cancela amistoso em Israel após pedido de jogadores

AP Photo/Gustavo Garello
Imagem: AP Photo/Gustavo Garello

Tales Torraga

Em colaboração para o UOL, de São Paulo (SP)

2018-06-05T18:46:19

05/06/2018 18h46

Depois de muitos protestos de palestinos, a Associação do Futebol Argentino atendeu aos pedidos de seus próprios jogadores e confirmou o cancelamento do amistoso contra Israel, que aconteceria neste sábado (9).

Confira a tabela completa e o calendário de jogos
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
DOC: a Rússia Gay que não pode sair do armário

A informação já havia sido antecipada pela imprensa argentina, mas foi confirmada em apuração do UOL Esporte; a mobilização dos atletas foi liderada por Messi após os protestos palestinos contra a realização da partida.

A federação tentou mudar o local do confronto de Jerusalém para Haifa, mas os jogadores rejeitaram a opção. Agora, a AFA procura um adversário substituto para seu último amistoso em Barcelona antes da Copa; conforme apurou a reportagem, as opções são Malta e San Marino.

"No fim pudemos fazer o correto. Primeiro vem a saúde e o senso comum. Achamos que o melhor era não ir", disse Higuain à ESPN local. Nesta terça-feira, manifestantes foram até a porta do CT Joan Gamper, na Catalunha, e fizeram um ato de repúdio ao jogo que será realizado em Jerusalém.

Com bandeiras da Palestina e uniformes tingidos de vermelho para simbolizar sangue, as pessoas presentes no protesto manifestaram contra a decisão da federação argentina de levar a seleção para um jogo pré-Copa do Mundo no país.

Albert Gea/Reuters
Imagem: Albert Gea/Reuters

Palestinos agradecem

Pouco depois do anúncio, a Federação de Futebol da Palestina agradeceu à AFA. "Tem muito mérito a seleção argentina, que decidiu não se converter em uma ferramenta política", disse Susan Shalabi, diretora internacional da associação, em entrevista à agência EFE.

"É um bom exemplo de separação de política e esporte e de como não permitir a políticos de imporem suas agendas. É algo que teremos que agradecer aos argentinos", afirmou Shalabi, antes de dizer que "ir a Jerusalém neste momento em que todo mundo está irritado com o que Donald Trump fez (mudar a embaixada americana em Tel Aviv para a cidade) é muito sério."

A Liga Árabe, organização de países sediada no Cairo, no Egito, divulgou um comunicado na última semana no qual representantes do Estado da Palestina na entidade dizem que Israel "aproveita" esse tipo de eventos para atender seus "propósitos políticos que não têm relação com o esporte, além de agredir os direitos do povo palestino".

O comunicado ainda cita que no estádio Teddy Kollek, onde aconteceria o amistoso, foi "construído sobre um dos povoados palestinos destruídos pela ocupação israelense". Já na segunda-feira, um grupo formado por 70 crianças palestinas escreveu uma carta ao jogador argentino Lionel Messi para pedir que não jogasse.

Em Israel, houve muita expectativa em torno do amistoso. Em apenas 20 minutos, foram vendidos quase todos os 34 mil ingressos disponíveis perante a oportunidade de ver estrelas como Messi, do Barcelona, Sergio Agüero, do Manchester City, e Angel Di María, do Paris Saint-Germain.

Visita ao papa também foi cancelada

Alessandro Bianchi/Reuters
Imagem: Alessandro Bianchi/Reuters

A seleção argentina mudou sua programação pré-Copa do Mundo e cancelou a visita que faria ao papa Francisco, que ocorreria nesta quarta-feira (06), no Vaticano.

Nascido na Argentina, o papa Francisco disse no mês passado que receberia a equipe de Jorge Sampaoli no Vaticano antes de a seleção do país embarcar para a Rússia.

A Federação Argentina de Futebol (AFA) alterou a agenda da equipe e Lionel Messi e todos os jogadores não irão mais viajar para Roma. As informações foram divulgadas pelo assessor de imprensa do Vaticano, Greg Burke.

“A visita da seleção argentina ao papa Francisco foi cancelada. Esperamos recebe-los com muita alegria depois da Copa”, escreveu Burke, em seu Twitter.

Papa Francisco, nascido em Buenos Aires, é fã assumido de futebol e torcedor ilustre do clube argentino San Lorenzo.

A visita estava programada para ocorrer às 15h (horário local), na Casa Santa Marta, no Vaticano. O primeiro confronto da Argentina na Copa do Mundo 2018 será contra a Islândia, no sábado (16), às 10h (horário de Brasília).

Mais Copa 2018