Copa 2018

Liderado por Guerrero, Peru vive "sonho" e quer surpreender em volta à Copa

Reuters
Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

12/06/2018 17h22

A seleção peruana vive um sonho que há muito tempo esperava. De volta à Copa do Mundo após 36 anos de ausência, a equipe sul-americana quer surpreender na Rússia. Liderado pelo atacante Paolo Guerrero, o Peru estreará no Mundial no próximo sábado (16), diante da Dinamarca, motivado por uma torcida em êxtase e apostando em uma geração que conta com jogadores talentosos.

A empolgação não é para menos: são 15 jogos de invencibilidade até aqui (10 vitórias e cinco empates) - a última derrota foi em novembro de 2016, quando sofreu revés de 2 a 0 para o Brasil pelas Eliminatórias.

Desde então, a equipe comandada pelo técnico Ricardo Gareca ascendeu como grande surpresa para confirmar a classificação para o seu quinto Mundial na história - antes disso, o Peru havia disputado as edições de 1930, 1970, 1978 e 1982.

A primeira vitória peruana na Copa aconteceu antes mesmo da chegada à Rússia, com a liberação de Paolo Guerrero para disputar o torneio. O atacante havia sido flagrado em exame antidoping em 2016 e, inicialmente, havia sido suspenso pela Fifa por seis meses. Posteriormente, a punição foi aumentada para 14 meses pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte). No entanto, um efeito suspensivo concedido pela justiça suíça garantiu a participação do jogador na Copa.

A decisão representa um grande alívio para Gareca. O maior artilheiro da história da seleção é uma das principais esperanças da torcida ao longo da disputa e já provou isso ao marcar duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre a Arábia Saudita, em amistoso preparatório para o Mundial.

Mas o Peru não é só Paolo Guerrero. O meia Christian Cueva, do São Paulo, e o atacante Jefferson Farfán também aparecem como nomes para dividir a responsabilidade na tentativa de fazer a seleção se classificar da fase de grupos, à exemplo do que alcançou no Mundial de 1978. Farfán, inclusive, foi o autor do primeiro gol da vitória sobre a Nova Zelândia, que garantiu a ida dos peruanos à Rússia.

Além disso, o grupo selecionado por Gareca tem em sua maioria jogadores acostumados com o futebol jogado em centros mais tradicionais. Dos 23 convocados, 18 atuam fora do Peru - cinco deles na Europa. 

O bom momento dentro de campo é refletido na animação da arquibancada. Na última segunda-feira (11), a seleção realizou treino aberto na cidade de Khimki e contou com a presença de torcedores entusiasmados em verem o Peru novamente disputando uma Copa do Mundo.

No entanto, para manter vivo o "conto de fadas", o Peru terá que superar adversários de peso no Grupo C do Mundial. Além da Dinamarca, os peruanos medirão forças contra a França, uma das seleções candidatas ao título, e Austrália, que, embora com pouca tradição, está mais acostumada às participações em Copas nos últimos anos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo