Copa 2018

Coronel Nunes quebra pacto com EUA e se enrola ao explicar voto no Marrocos

Rodrigo Mattos

Do UOL, em Moscou

13/06/2018 09h12

Após anunciar apoio à postulação da América do Norte, a CBF votou na candidatura derrotada do Marrocos para ser sede da Copa-2026. Havia um acordo para que todos os países da Conmebol apoiassem EUA, México ou Canadá, chapa tripla vencedora.

Brasil estreia às 15h deste domingo; veja a tabela
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Super-heróis: Marcelo sofreu com 7 a 1 e ganhou peso

A lista da Fifa mostra voto brasileiro em favor do Marrocos. Enquanto isso, os outros nove países da América do Sul foram em favor dos EUA, como era o combinado por acordo. Ou seja, a CBF foi a única que quebrou o acordo, sendo que a América do Norte é uma parceira estratégica inclusive para realização de uma futura Copa América.

Estavam como delegados brasileiros o presidente da CBF Coronel Nunes, os presidentes da federação pernambucana, Evandro Carvalho, e da Federação do Piauí, Cesarino Oliveira.

Ao deixar a votação, na zona mista, Coronel Nunes mostrou simpatia no Marrocos e falou que achava que o voto era secreto. Questionado, disse: "Eles (EUA) já fizeram Copa. Era bom que fosse o Marrocos". Em seguida, foi perguntado por que não votaria no Marrocos: "É só um voto."

Questionado de novo se tinha de fato votado no Marrocos, ele afirmou: "Voto é segredo." Em seguida, afirmou que um colega tinha votado. Mas isso não é verdade.  O UOL apurou com outro membro da delegação que foi o Coronel Nunes quem apertou o botão para escolher a candidatura.

Ou seja: o coronel Nunes votou no Marrocos achando que sua escolha seria secreta. Só que não era. Portanto, ficou revelada na Fifa a traição da CBF ao seu acordo com os EUA, México e Canadá.

"Eu poderia dizer que foi uma surpresa para nós. Só ficamos sabendo agora há pouco. Nós respeitamos a decisão de cada federação. Cada decisão era pessoal", disse Carlos Cordeiro, chefe da candidatura EUA, México e Canadá sobre o voto brasileiro.

Durante a candidatura, o presidente norte-americano Donald Trump chegou a ameaçar países parceiros com sanções comerciais que não votassem nos EUA na decisão da Copa de 2026.

"Os Estados Unidos apresentaram uma candidatura forte com Canadá e México para a Copa do Mundo de 2026. Seria uma pena se países que sempre apoiamos fizessem lobby contra a candidatura norte-americana. Por que deveríamos apoiar estes países quando eles não nos apoiam?", questionou Trump, em abril, em sua conta no Twitter.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo