Brasil

Paulinho vê seleção mais preparada e confiante que em 2014

Pedro Martins / MoWA Press
Paulinho concede entrevista coletiva após treino da seleção brasileira Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone

Do UOL, em Sochi (Rússia)

13/06/2018 13h16

Os jogadores tentam evitar a comparação e costumam se esquivar do assunto. No entanto, após insistência em perguntas em entrevista na tarde desta quarta-feira (13), o meia Paulinho analisou as diferenças entre as seleções brasileiras de 2018 e 2014. E não teve dúvidas ao apontar o grupo atual como mais preparado e confiante para a Copa do Mundo.

Brasil estreia às 15h deste domingo; veja a tabela
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Neymar S/A: a engrenagem por trás do camisa 10

“Analisando particularmente, claro que [agora] chega com confiança maior. Não estamos aqui para comparar, já passou. Mas pelo momento que tem vivenciado, vivido, claro que é melhor que o outro. Um momento de confiança, equilíbrio, de estar sempre concentrado. Em quatro anos se aprende muita coisa, faz parte do futebol. Aconteceu uma evolução muito grande, agora é aproveitar o momento de vitórias da melhor maneira possível para fazermos o melhor em campo”, avaliou o meia.

Mesmo tentando se esquivar, Paulinho ainda analisou o fato de a seleção se preparar para o Mundial em um ambiente de mais privacidade, em cenário oposto ao verificado em Copas como a de 2014 e a de 2006.

“Não posso falar das outras Copas, é difícil. Vamos fazer nosso trabalho, focar na seleção, em aprender com os companheiros. A gente gosta de treinos com mais privacidade porque temos que fazer dessa forma. Um conhece o outro muito bem, a comissão conhece o grupo que tem. O futebol é muito simples, tem que ser bem focado e objetivo. Não precisa falar demais, é ser simples e objetivo”.

Por fim, Paulinho comentou sobre a disputa de vagas no time titular da seleção brasileira. "O professor ainda não decidiu quem vai jogar. Independente dos nomes, o Fernandinho entrou e jogou muito bem contra a Alemanha. Coutinho para mim é um craque. Os 11 que escolher vai ser o melhor possível. Vejo de uma seguinte forma: são jogadores obviamente de qualidades diferentes, funções diferentes. Não é muita nem pouca coisa, são dois jogadores totalmente diferentes. O Fernandinho fez excelente partida com Alemanha e o Coutinho um excelente trabalho", completou.

A seleção começará a mostrar o resultado de todo esse trabalho neste domingo, quando estreia na Copa diante da Suíça, em Rostov, às 15h (de Brasília). Na sequência, a equipe de Tite enfrenta Costa Rica, dia 22, e Sérvia, dia 27.


ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Brasil

Topo