Topo

Copa 2018


É estreia, mas Suécia e Coreia do Sul se enfrentam pressionadas por rivais

Vitória do México sobre a Alemanha deixou suecos e sul-coreanos pressionados na briga por vaga - Alexander Hassenstein/Getty Images
Vitória do México sobre a Alemanha deixou suecos e sul-coreanos pressionados na briga por vaga Imagem: Alexander Hassenstein/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

17/06/2018 21h00

Suécia e Coreia do Sul se enfrentam nesta segunda-feira, às 9h (horário de Brasília), em jogo na cidade de Nizhny Novgorod pela primeira rodada do Grupo F. Mas a partida que deveria ser “apenas” a estreia das duas seleções no torneio acabou ganhando uma inesperada carga de importância. O motivo: a vitória do México sobre a Alemanha.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

O 1 a 0 nos atuais campeões colocou os mexicanos em uma situação favorável na briga por uma vaga na segunda fase da competição. Caso a Alemanha confirme o favoritismo nas próximas rodadas do grupo e avance, as três seleções disputarão uma vaga. Assim, uma derrota na primeira rodada colocará suecos e sul-coreanos em alerta – afinal, sem vencer os alemães na sequência da primeira fase, as chances se complicam.

“Agora temos que vencer o próximo jogo. E tenho certeza de que haverá uma reação”, disse o técnico da Alemanha, Joachim Löw, segundo o jornal Süddeutsche Zeitung. “Agora temos que marcar seis pontos nas próximas duas partidas”, concordou Toni Kroos.

O momento dos sul-coreanos antes da estreia não é dos melhores. Nos últimos seis amistosos, os comandados de Tae-Yong Shin conquistaram apenas uma vitória (sobre Honduras, em maio). Foram ainda quatro derrotas (contra Irlanda do Norte, Polônia, Bósnia e Senegal) e um empate (diante da Bolívia). A aposta para reverter a situação é o atacante Heung-Min Son, que atua no Tottenham.

A Suécia, por sua vez, volta à Copa do Mundo após as ausências nas edições de 2010 e 2014 do torneio. A situação anterior à Rússia é um pouco mais confortável: nos seis jogos amistosos feitos em 2018, os comandados de Janne Anderson venceram um (contra a Dinamarca), empatou três (contra Estônia, Dinamarca e Peru) e perdeu dois (para Chile e Romênia).

Sem Zlatan Ibrahimovic, a Suécia pode contar com o faro de gol do atacante Marcus Berg (ex-Hamburgo e PSV Eindhoven, atualmente nos Emirados Árabes). De quebra, ainda aposta na experiência de Sebastian Larsson como criador de jogadas e na segurança defensiva do capitão Andreas Granqvist.

E se a superstição ajudar, dá Suécia. Na sexta-feira, o zoológico de Nizhny Novgorod colocou uma anta chamada Cleópatra para prever quem venceria o jogo. Na hora de escolher entre os potinhos de comida que representavam as duas seleções, devorou a comida do pote sueco. Será que acerta?

Mais Copa 2018