Copa 2018

Em grupo "frágil", Kane e Lukaku despontam como rivais de CR7 na artilharia

AP Photo/Matthias Schrader
Imagem: AP Photo/Matthias Schrader

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

18/06/2018 21h00

A corrida pela artilharia da Copa do Mundo de 2018 já tem seus favoritos. Nesta segunda-feira (18), o belga Romelu Lukaku e o inglês Harry Kane fizeram dois gols cada um e despontaram como principais concorrentes de Cristiano Ronaldo na lista de goleadores – o português tem três. Em um grupo com adversários frágeis, a dupla ganha ainda mais força na disputa.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Bélgica e Inglaterra estão no grupo G do Mundial. Lukaku foi o melhor dos 3 a 0 sobre o Panamá; e Kane repetiu a dose horas depois, no 2 a 1 contra a Tunísia. Ambos enfrentaram defesas que se mostraram vulneráveis, por vezes desorganizadas, o que em tese facilita a vida da dupla na briga pela artilharia.

A defesa do Panamá conseguiu rebater algumas bolas, mas teve atuação bastante insegura na estreia. Lukaku deitou e rolou, tanto por cima quanto por baixo, e mostrou o caminho das pedras. O belga marcou seu segundo gol em contra-ataque, ganhando da defesa na velocidade, uma das características principais de Kane.

O inglês retribuiu o favor e expôs o principal erro da Tunísia: marcação frouxa e desatenção ao rebote. A seleção africana teve sua área facilmente invadida pela Inglaterra, ainda que a profusão de erros de marcação não tenha aparecido no placar. Kane fez dois gols pelo bom posicionamento na área – arte que Lukaku domina. Sem querer, portanto, um artilheiro ajudou o outro.

Por enquanto, no entanto, a artilharia é de Cristiano Ronaldo, que não teve a ajuda de ninguém: fez três gols em noite de gala contra a forte Espanha, na última sexta-feira (15). Ele ainda encara Marrocos (dia 25) e Irã (20) nesta primeira fase, adversários considerados de segunda linha, mas que mostraram muito mais organização do que panamenhos e tunisianos.

Outros nomes da luta pela artilharia até o momento são Diego Costa e Cheryshev. O espanhol parece forte na disputa, enquanto o russo não inspira tanta confiança pelas limitações de sua seleção.

Bélgica e Inglaterra ‘trocam’ de adversários na próxima rodada do grupo G e enfrentam, respectivamente, Tunísia e Panamá. O confronto direto entre os europeus será no dia 28.

As estreias de Lukaku e Kane

Sergio Perez/Reuters
Bem colocado, Harry Kane fez dois gols aproveitando a bola parada e os vacilos da seleção panamenha Imagem: Sergio Perez/Reuters
Na estreia, Lukaku esteve sempre perigoso, explorando o espaço deixado pela defesa panamenha. Foi assim que marcou os dois gols, ainda que ambos tenham sido muito diferentes entre si: primeiro ele se descolou da marcação para desviar cruzamento, depois disparou em contra-ataque e ficou na cara do gol.

Kane, por sua vez, é o vilão dos pesadelos da Tunísia. Foi o principal nome de uma Inglaterra que criou muitas chances, a maioria delas aproveitando erros de marcação dentro da área. Os dois gols do atacante saíram exatamente assim, quando o defensor se perdeu na marcação por zona e o deixou livre para a segunda bola.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo