Polônia

Mais uma estrela decepciona na estreia na Rússia: Lewandowski

Maxim Shemetov/Reuters
Robert Lewandowski lamenta chance perdida pela Polônia em derrota contra Senegal Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Marcel Rizzo

Do UOL, em Moscou (RUS)

19/06/2018 14h20

Maior artilheiro de uma edição de eliminatória europeia e principal goleador da história da Polônia, Robert Lewandowski estreou em Copas do Mundo apagado. Na derrota para Senegal, por 2 a 1, ele foi uma decepção para milhares de poloneses que lotaram o Spartak  Stadium na noite desta terça na Rússia, e que esperavam que seu atacante brilhasse igual a outros concorrentes a goleadores da Copa, como Cristiano Ronaldo (Portugal), Lukaku (Bélgica) e Kane (Inglaterra).

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

O atacante do Bayern de Munique fez 16 gols em dez jogos de sua Polônia nas eliminatórias para o Mundial russo, um recorde dessa competição. Com a camisa da Polônia já foram 55 gols em 95 jogos, marca que nenhum outro polonês tem. Com esses números, chegou à Copa como um dos favoritos à artilharia, mas não conseguiu produzir sobre uma defesa bem postada de Senegal. Mais ou menos como aconteceu com Messi contra a Islândia ou Neymar contra a Suíça.

Aos 29 anos, e capitão do time, foi o mais ovacionado pelos poloneses, que chegaram aos montes em Moscou nas últimas horas para ver a partida. Varsóvia, na Polônia, está a 1.257 km da capital russa, o que explica a invasão – é mais perto até do que Ecaterimburgo, uma das sedes do Mundial, que está a mais de 1.700 km.

Lewandowski foi o mais ovacionado pela torcida, após o nome anunciado ou quando apareceu no telão para jogar a moedinha pré-jogo. Expectativa alta para o jogador que, aos 21 anos, foi jogar no Borussia Dortmund, da Alemanha, onde se formou um dos grandes atacantes da atualidade.

Só que, ao contrário de outras seleções, como Brasil ou Argentina, que jogam para Neymar e Messi, respectivamente, a Polônia, pelo menos nessa estreia de Copa, não procurou seu astro. A ponto de, no segundo tempo e já com 2 a 0 contra no placar, Lewandowski sair da área para buscar a bola. Parecia nervoso que em seu primeiro jogo de Mundial não estivesse recebendo em condições de ao menos tentar marcar.

Sua melhor oportunidade foi em algo que tem se especializado os últimos anos, as cobranças de falta. Exigiu ótima defesa de Ndiaye. No mais, trombou muito e viu Krychowiak fazer o gol da Polônia -- justamente o camisa 10 que havia errado feio em recuo de bola no segundo gol do Senegal.

A torcida não gostou do resultado, e alguns vaiaram após a partida quando alguns atletas se aproximaram para cumprimentar. Nada direcionado a Lewandowski mas como capitão e principal jogadores pode receber a maior parcela de culpa pelo tropeço. Ele pareceu não se importar muito, e preferiu ir até a arquibancada dar um beijo em sua esposa, Anna, ex campeã mundial de caratê e que acompanhou o jogo bem próxima ao campo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Polônia

Topo