Copa 2018

Marquezine lamenta assédio de brasileiros a mulheres na Rússia: "Vergonha"

reprodução/Instagram
Bruna Marquezine sobre casos de assédio na Rússia Imagem: reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

19/06/2018 14h19

A sequência de casos de assédio cometidos por brasileiros na Rússia tem gerado muitas opiniões negativas nas redes sociais. Na avaliação feita pela atriz Bruna Marquezine, que lamentou o ocorrido nas redes sociais, isso é motivo de vergonha para o país..

Dibradoras: Brasileiro precisa entender que assédio não é brincadeira
Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Veja a tabela de classificação da Copa até aqui

“Que vergonha”, escreveu ela no Instagram nesta terça-feira (19), ao assistir uma reportagem de TV Globo sobre o caso. A atriz não foi a única a repudiar a atitude machista dos brasileiros. Celebridades como Fernanda Lima, Bruna Linzmeyer também se manifestaram.

As imagens mostraram uma mulher estrangeira cercada por um grupo de homens brasileiros, que cantam as palavras "b... rosa". Aparentemente sem entender o que era dito, a moça demonstra se divertir com a animação deles.

Em outro vídeo que circula pelas redes sociais, um grupo de homens brasileiros aborda três mulheres estrangeiras e pede para repetirem as palavras "eu quero dar a b... para vocês", sem que elas saibam o que estão dizendo.

OAB identifica um dos envolvidos

A seccional de Pernambuco da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) já identificou o advogado Diego Valença Jatobá entre os brasileiros que assediaram uma estrangeira na Rússia durante a Copa do Mundo. Ele estava envolvido no primeiro caso descrito acima.

Em uma nota publicada nesta segunda-feira (18), a entidade disse que “repudia veementemente o conteúdo de um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais em que um grupo de brasileiros ladeia uma mulher, que aparentemente não é brasileira nem fala português, e profere em coro ofensas relacionadas ao seu órgão sexual”.

Segundo seu perfil no Facebook, Diego Valença Jatobá vive em Ipojuca, em Pernambuco, e estudou direito na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Ele foi secretário de turismo do município no litoral pernambucano.

Na nota, assinada por Ronnie Preuss Duarte, presidente da OAB-PE, e por Ana Luiza Mousinho, presidente da Comissão da Mulher Advogada, a entidade cita estatísticas sobre a violência contra a mulher para criticar o advogado “regularmente inscrito” na seccional.

“A preconceituosa atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero, em que cada dia mais as instituições públicas e privadas estão em busca de soluções conjuntas para que nenhuma mulher sofra qualquer tipo de violência ou discriminação pelo fato de ser mulher.”  

Leia a íntegra da nota da OAB-PE

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, repudia veementemente o conteúdo de um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais em que um grupo de brasileiros ladeia uma mulher, que aparentemente não é brasileira nem fala português, e profere em coro ofensas relacionadas ao seu órgão sexual.

 Dentre os protagonistas do lamentável episódio, identifica-se o advogado Diego Valença Jatobá, regularmente inscrito nesta Seccional.

 Segundo dados da ONU, uma em cada três mulheres é ou será vítima de violência de gênero no mundo, sendo o Brasil o 5º país no ranking mundial de violência contra as mulheres.

De acordo com Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha, a cada 2 segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil e a cada 1.5 segundo uma mulher é vítima de assédio na rua.

 As estatísticas são alarmantes e nos levam a uma profunda reflexão sobre a necessidade de uma mudança urgente da cultura machista e patriarcalista em que nossa sociedade ainda está, infelizmente, inserida.

 A preconceituosa atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero, em que cada dia mais as instituições públicas e privadas estão em busca de soluções conjuntas para que nenhuma mulher sofra qualquer tipo de violência ou discriminação pelo fato de ser mulher.

 A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, reafirma seu compromisso de trabalho incansável para que os princípios do Estado Democrático de Direito sejam resguardados, proporcionando-se às mulheres a garantia de exercício de suas liberdades individuais e sexuais, com igualdade de espaço, de oportunidades e, sobretudo, de tratamento.

Recife/PE, 18 de junho de 2018.

Ronnie Preuss Duarte
Presidente da OAB/PE

Ana Luiza Mousinho
Presidente da Comissão da Mulher Advogada

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo