Copa 2018

'Jogo de compadres' pode eliminar Argentina e Austrália da Copa do Mundo

Xinhua/Chen Yichen
Imagem: Xinhua/Chen Yichen

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

21/06/2018 21h00

Os resultados desta quinta-feira (21) abrem a possibilidade de ao menos dois grupos da Copa do Mundo serem definidos em partidas nada decisivas. O chamado “jogo de compadres” pode acontecer em Dinamarca x França, e também em Croácia x Islândia, a depender do resultado dos islandeses contra a Nigéria nesta sexta (22).

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Situações como esta acontecem quando os dois primeiros colocados do grupo se enfrentam na última rodada, com ambas as seleções podendo ser beneficiadas pelo empate. É justamente o caso de Dinamarca x França no grupo C.

Os franceses têm seis pontos, e os dinamarqueses, quatro. Atrás está a Austrália, que tem só um e precisaria vencer, secar a Dinamarca e tirar o saldo de gols para ir às oitavas de final. Um empate entre os líderes, no entanto, garantiria a classificação dinamarquesa e a liderança da França – ambos sairiam ganhando. A rodada acontece na terça-feira (26).

Caso parecido pode acontecer no grupo D, da Argentina, que tem só um ponto após dois jogos. A Croácia lidera com seis, e a Islândia pode chegar a quatro se vencer a Nigéria a partir das 12 horas (de Brasília) desta sexta-feira (22). Se isso acontecer, o “jogo de compadres” poderia acontecer entre os europeus, na última rodada, eliminando Messi e cia. 

A armação de jogos é comum, inclusive na Copa do Mundo. Os casos são muito criticados, mas sempre existiram por serem um arranjo positivo para os lados envolvidos. A situação é diferente, no entanto, do caso do grupo A desta Copa do Mundo. Neste, Rússia e Uruguai têm seis pontos cada e os concorrentes não têm nenhum. Já classificadas, as seleções não têm nada a perder, apenas a ganhar: a possível liderança da chave.

Desgraça de Gijón e o novo formato da Copa

A prática é execrada até pela Fifa por conta da Copa do Mundo de 1982. Na ocasião, Áustria e Alemanha Ocidental faziam o último jogo do grupo já sabendo do resultado de Argélia x Chile. Bastava uma vitória alemã por um ou dois gols de diferença para que os argelinos ficassem de fora, e foi justamente o que ocorreu. A partida ficou conhecida como “A desgraça de Gijón” e foi a partir daí que os últimos jogos dos grupos passaram a ser no mesmo dia e horário.

Após dez Copas do Mundo, no entanto, a receita será abandonada. A Fifa anunciou que o Mundial passará a ter 48 seleções a partir de 2026, divididas em grupos de três seleções. Desta forma, os envolvidos no último duelo da chave sempre saberão o resultado exato que precisam para passar de fase. Os jogos arranjados podem voltar a dar as caras sempre que for conveniente a estes times.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo