Topo

Argentina

  • Athletico CAP
  • Atlético-MG AMG
  • Avaí AVA
  • Bahia BAH
  • Botafogo BOT
  • Ceará CEA
  • Corinthians COR
  • Coritiba CBA
  • Chapecoense CHA
  • Cruzeiro CRU
  • CSA CSA
  • Flamengo FLA
  • Fluminense FLU
  • Fortaleza FOR
  • Goiás GOI
  • Grêmio GRE
  • Internacional INT
  • Palmeiras PAL
  • Santos SAN
  • São Paulo SAO
  • Sport SPO
  • Vasco VAS

Argentina precisa vencer Nigéria e pode depender do saldo para avançar

Ueslei Marcelino/Reuters
Musa comemora gol da Nigéria na vitória sobre a Islândia na Copa do Mundo. Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Do UOL, em São Paulo (SP)

2018-06-22T13:57:47

22/06/2018 13h57

O “milagre” da vaga às oitavas de final, termo usado por Sergio Agüero depois da derrota por 3 a 0 para a Croácia na última quinta-feira, se tornou mais palpável para a Argentina. Com a vitória por 2 a 0 da Nigéria sobre a Islândia nesta sexta, a equipe comandada por Jorge Sampaoli pode depender apenas do “saldo de gols” na disputa contra os islandeses para avançar de fase.

A Argentina tem um ponto e três gols negativo de saldo, contra um ponto e dois negativos dos islandeses, que ainda levam vantagem.

Para Lionel Messi e companhia reverterem este quadro, basta uma vitória sobre a Nigéria que seja maior em saldo na comparação com os nórdicos, que, obviamente, precisam passar pela Croácia no último jogo.

Por exemplo, um triunfo por 2 a 0 sobre a Nigéria, combinada com uma vitória por 1 a 0 da Islândia sobre os croatas, classificaria a Argentina, que levaria a melhor no critério de gols marcados - sul-americanos e islandeses entram na última jornada com apenas um gol cada no torneio.

Os argentinos só dependerão do saldo em caso de vitória islandesa sobre a Croácia, líder do grupo com seis pontos. Um tropeço da equipe comandada por Heimir  Hallgrimsson, combinada com a vitória dos argentinos sobre os nigerianos, já classifica a equipe alviceleste para a fase de mata-mata do Mundial.

Os dois duelos (Argentina x Nigéria e Islândia x Croácia) serão disputados no próximo dia 26, a partir das 15h (de Brasília).

Mais Argentina