Argentina

Argentina se fecha em centro de treinamento para "lavar roupa suja"

Gabriel Rossi/Getty Images
Vista do centro de treinamento da Argentina em Bronnitsy Imagem: Gabriel Rossi/Getty Images

Marcel Rizzo

Do UOL, em Moscou

22/06/2018 07h00

A Argentina decidiu se fechar para lavar a "roupa suja". Nesta sexta (22), um dia depois de perder por 3 a 0 para a Croácia e se complicar na Copa do Mundo da Rússia, comissão técnica e diretoria da Associação de Futebol Argentina (AFA) decidiram que não abrirão as portas do centro de treinamento para os jornalistas.

Clique aqui e veja os melhores momentos da vitória croata

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Nem mesmo os tradicionais 15 minutos de imagem, no começo ou fim do trabalho com bola, serão autorizados. A decisão não fere o regulamento da Fifa, que permite que ao menos um trabalho antes de uma partida seja feito totalmente sem a presença da imprensa.

Os argentinos estão alocados na cidade de Bronnitsy, a 60 km de Moscou em um CT totalmente isolado. A primeira barreira com seguranças que impede passagem de curiosos fica a cerca de 1,5 km do campo de treino e alojamentos, portanto mesmo torcedores que quiserem aparecer por lá ficarão bem distante dos atletas. Inicialmente trabalhariam às 18h local (12h de Brasília), no mesmo horário da partida entre Nigéria e Islândia, que interessa muito aos argentinos - todos devem assistir a esse jogo.

Após o tropeço, os jogadores deixaram o estádio em Nizhni Novgorod de cara amarrada. Lionel Messi, que sempre costuma parar na zona mista para falar com os jornalistas argentinos que conhece, passou reto. Os poucos que falaram, como Sergio Agüero, escancaram que o clima não é bom. Questionado sobre Jorge Sampaoli ter tido que os jogadores não entenderam o plano de jogo contra os croatas, Agüero respondeu que "ele fala o que quiser".

Sampaoli optou por sacar do time alguns jogadores da geração de Messi, como Di Maria e Biglia, que há tempos estão com ele, desde a base da seleção argentina, e não deu certo. A opção pelo goleiro Caballero, que falhou no primeiro gol do adversário, também é questionada, além de pouco usar Dybala, destaque na Juventus.

Até terça, quando terá o decisivo jogo contra a Nigéria, em São Petersburgo, é provável que a Argentina só abra os 15 minutos de treino obrigatórios pela Fifa, e que nenhum atleta fale até a véspera do jogo. A Fifa determina que o treinador e um atleta falem na véspera do jogo. Na Copa do Mundo do Brasil, porém, antes de pelo menos três jogos o atleta obrigatório não apareceu e o time foi multado - valores que chegaram a R$ 750 mil.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Argentina

Topo