Copa 2018

Com golaços de Musa, Nigéria bate Islândia em resultado bom para Argentina

Do UOL, em São Paulo

22/06/2018 13h55

A Nigéria contou com dois belos gols do atacante Ahmed Musa e um pênalti perdido por Gylfi Sigurdsson para vencer a Islândia por 2 a 0 nesta sexta-feira (22), em Volgograd, pela segunda rodada do grupo D da Copa do Mundo. O resultado deu à seleção africana seus primeiros pontos, mas também facilitou a missão da Argentina na luta pela classificação.

Clique aqui para ver os melhores momentos da vitória nigeriana

Agora com três pontos, os nigerianos vão enfrentar os argentinos na última rodada, na próxima terça (26), às 15h (de Brasília), em São Petersburgo. O time de Messi e companhia soma apenas um ponto até aqui, e para ir às oitavas de final precisa vencer a Nigéria e torcer para que a Islândia (também com um ponto) não vença a já classificada Croácia (seis pontos) em Rostov. Se os islandeses também ganharem, a vaga será decidida no saldo de gols, critério em que os europeus levam vantagem no momento: -2 a -3.

O jogo foi de baixo nível técnico, com a Islândia forçando a bola aérea a todo momento e a Nigéria com poucas ideias para construir jogadas. Os belos lances individuais de Musa foram o ponto alto, enquanto o melhor jogador islandês, Sigurdsson, chutou por cima uma penalidade que foi marcada com o auxílio do árbitro de vídeo.

O melhor: Musa

Mark Ralston/AFP
Imagem: Mark Ralston/AFP

Em um jogo de praticamente nenhum brilho técnico, Musa compensou com dois lindos gols. Primeiro, em contra-ataque rápido do time africano depois de um lateral islandês arremessado direto na área, Moses disparou pela direita e cruzou. A bola não veio muito boa, mas Musa deu um toque perfeito para, ao mesmo tempo, controlar o passe e tirar o zagueiro da jogada, fuzilando para a rede em seguida. Depois, em mais um contragolpe, recebeu pela esquerda, passou pelo defensor, driblou também o goleiro e ampliou.

O pior: Bödvarsson

O centroavante entrou no time para fazer companhia a Finnbogason no ataque e brigar por mais bolas aéreas, mas foi mal. Praticamente anônimo enquanto esteve em campo, levou pouco perigo à defesa nigeriana e acabou substituído no segundo tempo.

Islândia não tem vergonha de jogar a bola na área

Ao contrário do jogo com a Argentina, em que passou quase o tempo todo defendendo, dessa vez a Islândia buscou atacar mais. E não teve o menor pudor em usar sempre a mesma jogada: bola levantada na área. Qualquer lance que se aproximasse da intermediária, invariavelmente, terminava em uma bola alçada para os atacantes Finnbogason e Bödvarsson. Apesar da insistência, os três zagueiros da Nigéria conseguiram segurar a bateria aérea islandesa.

Nigéria não consegue criar no primeiro tempo

Jorge Silva/Reuters
Imagem: Jorge Silva/Reuters

O jogo ofensivo da Nigéria deixou muito a desejar na primeira etapa. Se a Islândia apenas levantava bolas na área, os africanos nem isso faziam. Muitas vezes a circulação de bola foi lenta e a jogada morreu nas pontas, com um nigeriano cercado de islandeses e sem opção de passe ou tabela. A força física da seleção europeia na marcação, que já havia travado a Argentina no jogo de estreia, voltou a se mostrar eficiente para cortar as desorganizadas investidas do rival.

Lateral jogado na área vira contra-ataque e gol da Nigéria

Ueslei Marcelino/Reuters
Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

A força do capitão Gunnarsson para arremessar laterais perto da linha do meio-campo direto na área também chamou atenção na Islândia. Em várias oportunidades, ele jogou a bola com as mãos direto na zona de perigo para que o ataque do país europeu brigasse no alto. Mas o lance acabou se voltando contra o time: no começo do segundo tempo, em mais um lateral direto na área, a zaga da Nigéria afastou e o time acelerou no contra-ataque, resultando no gol de Musa.

Islândia tem pênalti marcado com VAR, mas perde

Ueslei Marcelino/Reuters
Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Após levar o segundo gol, em nova jogada de contra-ataque da Nigéria, a Islândia se lançou à frente e conseguiu um pênalti. Finnbogason foi derrubado na área e o árbitro não marcou nada inicialmente, mas depois de rever o lance no vídeo, marcou a penalidade. Referência técnica do time, Gylfi Sigurdsson foi para a bola, mas bateu muito mal, por cima do gol, e jogou fora a chance de reação.

FICHA TÉCNICA

Nigéria 2 x 0 Islândia

Local: Arena Volgograd, em Volgograd (Rússia)
Data: 22/06/2018
Horário: 12h (de Brasília)
Árbitro: Matt Conger (Nova Zelândia)
Assistentes: Simon Lount (Nova Zelândia) e Tevita Makasini (Tonga)

Gols: Musa, aos 3 e aos 29 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Idowu (Nigéria)

Nigéria: Uzoho; Balogun, Troost-Ekong e Omeruo; Moses, Ndidi, Mikel, Etebo (Iwobi) e Idowu (Ebuehi); Iheanacho (Ighalo) e Musa. Técnico: Gernot Rohr

Islândia: Halldorsson; Saevarsson, Arnason, Ragnar Sigurdsson (Ingason) e Magnusson; Gislason, Gunnarsson (Skulason), Gylfi Sigurdsson e Bjarnason; Bödvarsson (Sigurdarson) e Finnbogason. Técnico: Heimir Hallgrimsson

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo