Polônia

Após lambanças da estreia, técnico polonês fala em resgate e time "bravo"

Laurence Griffiths/Getty Images
Imagem: Laurence Griffiths/Getty Images

Julio Gomes

Do UOL, em Kazan (Rússia)

23/06/2018 15h16

Oitava colocada no ranking da Fifa e cabeça de chave na Copa do Mundo, a Polônia deixou seus torcedores na mão ao perder para Senegal por 2 a 1, na estreia. Para seguir com chances de classificação no grupo H, precisa de um bom resultado contra a Colômbia, neste domingo, na cidade de Kazan.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

O primeiro gol de Senegal foi contra e o segundo foi um presente após um recuo de bola na fogueira para o goleiro.

“Perdemos o primeiro jogo, não é uma tragédia, o time está muito bem preparado para esta Copa do Mundo. Estamos muito irritados com o nosso jogo (contra Senegal). Então, queremos jogar em um nível diferente, já preparamos nossa estratégia e agora precisamos de ações, não de palavras. Nós não esquecemos como jogar futebol. Quando times ficam bravos após uma derrota, costumam reagir bem no jogo seguinte”, falou o técnico da Polônia, Adam Nawalka.

Ele ainda não sabe se poderá conta com o zagueiro Glik e, assim como José Pekerman, técnico da Colômbia, fez mistério em relação ao time que vai a campo. Deixou no ar que haverá mudanças. “Só defino o time após o treino”, repetiu, diante da insistência de jornalistas poloneses – só os primeiros 15 minutos foram abertos.

“Estamos esperando um jogo difícil, muito intenso e interessante, mas confiantes de sair com a vitória após o jogo. A Colômbia está há seis anos jogando junta, tem um técnico excelente e um time muito perigoso. Nossos jogadores estão com uma atitude muito positiva para o jogo”, falou Nawalka.

Se a Polônia tem a dúvida de Glik, a Colômbia tem a certeza do retorno do meia James Rodríguez ao time, após ficar no banco na derrota diante do Japão - por não estar 100% fisicamente.

“Nós sabemos o que James pode fazer, ele é a locomotiva do time. Pode ser um jogador muito perigoso, precisamos estar preparados para ele”, alertou o meia Zielinski, que atua pelo Napoli.

O volante Grzegorz Krychowiak quer apenas que o time deixe de cometer os erros infantis do jogo contra Senegal. “A Colômbia tem grandes jogadores, mas vamos focar no nosso time. Demos dois gols de graça e precisamos evitar esses erros”, comentou.

Até mesmo Pekerman, o técnico adversário neste domingo, que elogiou o time da Polônia, considerou a derrota dos europeus quase uma obra do acaso.

“Aconteceram coisas estranhas também no jogo deles. Alguém pode se enganar com a Colômbia, mas nosso time ganhou o primeiro tempo com dez em campo, depois se cansou. No jogo da Polônia, aconteceram coisas raras. Um gol de alguém que estava fora de campo, uma distração, um gol contra. Se se analisa só o resultado, muitas vezes alguém pode se confundir. Não é nosso caso. Respeitamos muito a Polônia e sabemos que será um rival muito duro”, falou Pekerman.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Polônia

Topo