Topo

Suíça

  • Athletico CAP
  • Atlético-MG AMG
  • Avaí AVA
  • Bahia BAH
  • Botafogo BOT
  • Ceará CEA
  • Corinthians COR
  • Coritiba CBA
  • Chapecoense CHA
  • Cruzeiro CRU
  • CSA CSA
  • Flamengo FLA
  • Fluminense FLU
  • Fortaleza FOR
  • Goiás GOI
  • Grêmio GRE
  • Internacional INT
  • Palmeiras PAL
  • Santos SAN
  • São Paulo SAO
  • Sport SPO
  • Vasco VAS

Fifa abre processo disciplinar contra dupla suíça após comemoração polêmica

Clive Rose/Getty Images
Imagem: Clive Rose/Getty Images

Rodrigo Mattos

Do UOL, em Moscou

2018-06-23T18:34:11

23/06/2018 18h34

Neste sábado (23), dia seguinte à vitória heroica sobre a Sérvia, a seleção suíça tem dois de seus principais jogadores na mira do Comitê Disciplinar da Fifa. A entidade abriu processo disciplinar contra Xherdan  Shaqiri e Granit  Xhaka, autores dos gols contra os sérvios e de gestos polêmicos durante a comemoração.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas 
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

A investigação foi divulgada pela própria Fifa em comunicado oficial. O gesto em questão é o cruzamento das mãos à frente do corpo, que representa a águia negra de duas cabeças, símbolo presente na bandeira da Albânia. A dupla comemorou gols assim pois têm em comum a etnia albanesa, que vive conflito com a Sérvia pela autonomia da província de Kosovo (de maioria albanesa).

Após o jogo, Shaqiri confirmou que o gesto foi uma atitude política, mas preferiu não polemizar. "Não quero falar sobre isso. No futebol, você tem emoções à flor da pele. São só emoções. Não é nada mais que isso, não precisamos falar disso".

A Fifa avaliou, na mesma partida, distúrbios e mensagens políticas e ofensivas por parte da torcida sérvia; por isso também abriu procedimento contra a Associação de Futebol da Sérvia. Já o técnico Mladen Krstajic é alvo de investigação preliminar devido a supostas declarações políticas que teria feito após o jogo. Na ocasião, ele comparou o uso do árbitro assistente de vídeo à Corte Internacional de Justiça, que condenou líderes iugoslavos por ocasião dos conflitos nos Bálcãs.

Mais Suíça