Copa 2018

Colômbia e Polônia opõe Falcao e Lewandowski pressionados em "decisão"

Aurelien Meunier/Getty Images
Imagem: Aurelien Meunier/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

24/06/2018 04h00

Colômbia e Polônia entram em campo para uma “final” neste domingo (24), às 15h (horário de Brasília), na Arena Kazan. Após derrota na primeira rodada, as duas seleções chegam pressionadas ao confronto e buscando evitar um adeus precoce à Copa do Mundo na Rússia.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Dois jogadores contam com uma pressão extra para o encontro - Robert Lewandowski e Falcao García. Depois de uma atuação abaixo do esperado de ambos na estreia, os atacantes terão chance de redenção. E mais: uma nova oportunidade de entrarem para a lista de “camisas 9” que estão sendo decisivos na atual edição do Mundial.

Até aqui, nomes como Diego Costa, Harry Kane, Lukaku e Suárez já mostraram o poder de artilharia na Rússia. Tanto o polonês, quanto o colombiano precisarão “desencantar” na segunda rodada para se juntar ao grupo.

No caso de Falcao, a necessidade de gol é ainda maior. Isso porque o centroavante já soma uma sequência de seis jogos sem marcar (três pela Colômbia e três pelo Monaco). A última vez que o jogador balançou as redes foi em 7 de abril, em partida contra o Nantes, pelo Campeonato Francês. 

Ciente da necessidade de reabilitação da Colômbia, o próprio atacante já admitiu clima de decisão diante dos poloneses e pediu atenção especial justamente com Lewandowski.

“Sabemos que Lewandowski é um artilheiro que pode concluir as chances que lhe são criadas dentro da área. Portanto, devemos mantes o controle do meio-campo e, acima de tudo, ter muito cuidado em todos os detalhes”, disse o colombiano em entrevista coletiva.

A boa notícia para Falcao, no entanto, é o provável retorno de James Rodríguez ao time titular. O técnico José Pékerman mantém a dúvida sobre a presença do meia, mas já indicou a possibilidade de escalação.

Maxim Shemetov/Reuters
Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Para o lado do atacante polonês, a espera pelo gol não é diferente. Maior artilheiro da seleção polonesa, Lewandowski sabe da necessidade de mostrar poder de decisão na Copa do Mundo para se reafirmar como um dos grandes nomes do planeta na posição.

O presidente da federação polonesa de futebol reconhece a expectativa em cima do principal jogador do país, mas minimizou a pressão ao compará-lo a Messi e Cristiano Ronaldo.

“Há muita pressão em cima dele? Não acho. Sempre as estrelas sofrem mais pressão. Em Portugal é o Ronaldo, na Argentina é o Messi e na Polônia é o Lewandowski. Estamos falando de quem eu considero o melhor camisa 9 do mundo", disse em entrevista ao site da Fifa.

Além disso, há outro fator motivacional para os atacantes. Ambos disputam a primeira Copa do Mundo e uma eliminação ainda na fase de grupos ficaria abaixo de qualquer expectativa. Vale destacar que Colômbia e Polônia eram apontadas como as favoritas no Grupo H – que também conta com Japão e Senegal.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo