Topo

Argentina

  • Athletico CAP
  • Atlético-MG AMG
  • Avaí AVA
  • Bahia BAH
  • Botafogo BOT
  • Ceará CEA
  • Corinthians COR
  • Coritiba CBA
  • Chapecoense CHA
  • Cruzeiro CRU
  • CSA CSA
  • Flamengo FLA
  • Fluminense FLU
  • Fortaleza FOR
  • Goiás GOI
  • Grêmio GRE
  • Internacional INT
  • Palmeiras PAL
  • Santos SAN
  • São Paulo SAO
  • Sport SPO
  • Vasco VAS

Paz? Até beijo de Sampaoli em Messi por aniversário vira sinal na Argentina

AFP
Messi é cumprimentado por Jorge Sampaoli, Camisa 10 fez aniversáro de 31 anos Imagem: AFP

Marcel Rizzo

Do UOL, em Bronnitsy (Rússia)

2018-06-24T06:14:15

24/06/2018 06h14

Messi chegou ao campo dos alojamentos do centro de treinamento argentino em Bronnitsy, interior russo, igual a todos os dias, em um carrinho de golfe. Desceu do veículo calçando tênis e com as chuteiras verde limão nas mãos, como todos os dias, e sentou-se na arquibancada para calçá-las. Mas não era um dia comum.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Todos os jornalistas ali presentes no início de treinamento da Argentina queriam ver como os atletas tratariam o aniversário do seu craque, que completa neste domingo 31 anos. Alguns provavelmente já o teriam cumprimentado mais cedo, no café da manhã, mas e Jorge Sampaoli, o técnico que está sendo bombardeado por críticas e não agrada ao elenco? Se dirigiria a um dos jogadores que poderia estar querendo sua cabeça?

O suspense durou poucos minutos. Ao caminhar para o centro do campo, Messi primeiro foi parado por Ansaldi, que o parabenizou com um beijo no rosto. Sampaoli já se dirigia ao seu capitão, e também com um beijo o cumprimentou.

O gesto fez as câmeras dos fotógrafos presentes dispararem. Em meio ao caos que vive a Argentina, com especulações de que o elenco quer tomar o comando do time e demitir Sampaoli antes do jogo decisivo de terça contra a Nigéria, um gesto de carinho entre Messi e o treinador, por menor que seja, merece o registro.

Como sempre, e como a Fifa permite, a Argentina só liberou que os repórteres acompanhassem os primeiros 15 minutos de treino. Físico, basicamente, comandado aos gritos por Jorge Desio, preparador da equipe e que há anos trabalha com Sampaoli. Um de seus poucos aliados na delegação atualmente, segundo os jornalistas argentinos que há anos acompanham a seleção.

Ainda não se sabe como Sampaoli colocará a Argentina em campo contra a Nigéria. É quase certo que haja uma mudança no gol, saindo Caballero, que falhou no primeiro gol da Croácia na derrota por 3 a 0, e entrando Armani. O esquema tático e a escalação são uma incógnita, devem mudar pelo terceiro jogo seguido e é um dos motivos de insatisfação dos jogadores.

Uma vitória simples sobre a Nigéria, terça, em São Petersburgo, pode bastar aos argentinos, desde que os Islandeses não vençam a Croácia. Nada mirabolante, mas que no caos que se transformou o ambiente argentino nessa Copa parece ser um resultado distante.

Mais Argentina