Copa 2018

Torcedor tenta beijar repórter da Globo antes de entrada ao vivo

Reprodução/Twitter
Torcedor tenta beijar repórter Julia Guimarães, da TV Globo Imagem: Reprodução/Twitter

Beatriz Cesarini

Do UOL, em São Paulo

24/06/2018 12h05

A repórter Julia Guimarães, da "TV Globo", quase foi beijada por um torcedor, neste domingo (24), enquanto aguardava para entrar ao vivo em um link no programa Esporte Espetacular. Vítima de assédio, a jornalista deu uma bronca no homem e pediu respeito.

Especial: Mulheres se rebelam na Copa e rebatem o assédio e o machismo do futebol
Brasileiros precisam entender que assédio não é brincadeira
Demissão por justa causa ou detenção: o que a lei diz sobre assédio na Copa

"Nunca mais faça isso. Nunca mais faça isso com uma mulher. Eu não permiti que você fizesse isso", disse Julia, que ainda acrescentou: "Respeito".

Em sua primeira cobertura de Copa do Mundo in loco, Julia se preparava para entrar ao vivo no "Esporte Espetacular" e comentar sobre o jogo entre Japão e Senegal, que acontece na cidade de Ecaterimburgo, quando o torcedor, que segundo ela seria russo, tentou beijá-la.

Em conversa com a reportagem do UOL Esporte, a jornalista contou que não foi a primeira vez que sofreu assédio enquanto estava exercendo sua profissão durante o Mundial da Rússia.

"É a segunda vez que acontece comigo. Dessa vez foi um russo, com certeza. Da outra, eu não lembro. Foram minutos antes de entradas ao vivo... No momento de maior concentração. É triste, porque nos sentimos frágeis, indefesas...Fora que estou trabalhando e atrapalha muito a concentração", relatou Julia.

No momento, a jornalista estava somente com uma produtora russa, que também fala português e a auxilia na cobertura da Copa do Mundo de 2018. Desde o início do Mundial na Rússia, Julia está na cidade de Ecaterimburgo. Ela é responsável por cobrir todos os jogos que acontecem lá e acumula várias funções: produção, reportagem filmagem, entre outras.

Ainda de acordo com Julia, a emissora e colegas de trabalho estão dando apoio a ela em relação aos dois casos. Em seu perfil nas redes sociais, a jornalista se manifestou e mostrou indignação.

"É difícil encontrar palavras... Por sorte, nunca vivi isso no Brasil. Aqui já aconteceu por duas vezes. Triste! Vergonhoso!", escreveu Julia.

Em recente entrevista ao UOL Esporte, a repórter contou que estava realizando um sonho com a cobertura da Copa do Mundo da Rússia.

“É o sonho de todo o jornalista esportivo, de todo mundo que ama essa profissão. Já tinha esse sonho quando eu tinha 12 anos. É o sentimento de realização total, porque é o que eu sempre quis. Quando eu vi meu nome divulgado na lista das pessoas que iriam fazer essa cobertura, a ficha demorou para cair, recebi do meu chefe uma mensagem de parabéns em russo e demorei para entender. É até difícil de acreditar que eu estou em uma cobertura com tantos profissionais que eu me inspiro, acompanho, vou ter a oportunidade de estar perto”, disse Julia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo