Argentina

Marcado por erro em 2014, Higuain tem mesmo nº de gols que Messi em Copas

Kirill Kudryavtsev/AFP
Higuaín durante a derrota por 3 a 0 para a Croácia Imagem: Kirill Kudryavtsev/AFP

Marcel Rizzo

Do UOL, em Moscou (Rússia)

25/06/2018 20h00

Gonzalo Higuaín vai ser lembrado para o resto da vida pelo gol que perdeu. Mas nesta terça (26), contra a Nigéria, ele é a aposta do técnico argentino Jorge Sampaoli pelo que fez. Cinco gols em Copas do Mundo, quinto maior goleador do país em Mundiais, ao lado de Messi, que será seu parceiro no ataque na próxima partida na Rússia.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

A Argentina precisa vencer os africanos, de preferência pela maior margem de gols que conseguir, para tentar chegar às oitavas de final da Copa do Mundo. E Sampaoli decidiu tirar Higuaín do banco de reservas, onde estava desde o começo da Copa, apesar da fama de perdedor de gols do centroavante.

O mais famoso, claro, é o na final da Copa do Mundo de 2014, no Maracanã, contra a Alemanha. Aos 20 minutos do primeiro tempo, a bola voou pela intermediária alemã e Kross, de forma atabalhoada, tentou recuar de cabeça para Neuer, dando um presente para Higuaín. Livre, ele teve tempo para dominar e, cara a cara com o goleiro, chutou truncado a e bola foi para fora. O jogo terminou 1 a 0 para a Alemanha, que venceu na prorrogação.

Houve outros dois, ao menos, que os argentinos lembram nas finais das Copas América de 2015 e 2016, duas derrotas para o Chile, e que poderiam ter mudado os resultados. Na primeira, aos 47 minutos do segundo tempo, com o jogo 0 a 0, ele desvia uma bola quase dentro do gol, e ela sai.

Zhou Lei/Xinhua
Imagem: Zhou Lei/Xinhua

Mesmo assim, os argentinos o criticam, ou fazem piadas, menos até do que brasileiros. E para o jogo contra a Nigéria, ele pode ser um parceiro mais útil para Messi do que Aguero foi nos dois primeiros confrontos da Copa-2018.

Apesar de ele ter feito o único gol argentino até agora, no empate por 1 a 1 contra a Islândia, a performance do jogador do Manchester City em Mundiais é fraca: são dez jogos e só o gol contra os islandeses -- aliás muito comemorado justamente por ter finalmente desencantado em uma Copa.

Higuain tem cinco gols em 13 partidas. Foram quatro em 2010, seu primeiro Mundial aos 22 anos, e um em 2014. Uma média de 0,38, melhor que a de Messi, que anotou os mesmos cinco gols em 17 partidas (0,29).

Taticamente, a presença de Higuaín deve facilitar para Messi. Pelo esquema que Sampaoli projeta, algo mais próximo do 4-4-2, o camisa 10 deve jogar mais próximo da área, com Higuaín perto para tabelas ou facilitando infiltrações -- Aguero deixava muito a área, atuando mais distante de Messi.

Jorge Sampaoli não quis confirmar as mudanças da equipe, mas disse que espera que melhora. "Acho que os ajustes devem dar certo e espero que a Argentina saia vitoriosa da partida", disse Sampaoli.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Argentina

Topo