Copa 2018

Portugal revê técnico de Copa frustrada e atrito com CR7. Agora, como rival

Julian Finney/Getty Images
Carlos Queiroz levou Portugal às oitavas em 2010. Agora enfrenta seu país para repetir o feito com o Irã Imagem: Julian Finney/Getty Images

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

25/06/2018 04h00

Uma estreia espetacular contra a Espanha e um empate por 3 a 3 em um dos melhores jogos da Copa do Mundo até aqui, com atuação magistral de Cristiano Ronaldo. Depois, uma vitória protocolar sobre Marrocos por 1 a 0. Portugal chega à última rodada do grupo B confiante na classificação, mas terá do outro lado um conterrâneo e velho conhecido que fará de tudo para frustrar o objetivo: Carlos Queiroz, o experiente treinador do Irã, adversário desta segunda-feira (25), às 15h, em Saransk.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

Queiroz tem uma longa trajetória no futebol. Auxiliar de Alex Ferguson no Manchester United por muitos anos e ex-treinador do Real Madrid, ele hoje é idolatrado pela torcida iraniana, após levar a seleção asiática a duas Copas seguidas pela primeira vez na história. Já a relação com os fãs de futebol em seu próprio país, embora respeitosa, é menos calorosa. E isso passa pela campanha de Portugal no Mundial de 2010, na África do Sul.

Lars Baron/Getty Images
Queiroz orienta Cristiano Ronaldo em jogo da Copa de 2010 Imagem: Lars Baron/Getty Images

Sob o comando de Queiroz, a seleção portuguesa fez uma Copa sem brilho. O único jogo em que marcou gols foi contra a Coreia do Norte, com uma goleada por 7 a 0 na primeira fase. Nos outros dois jogos do grupo, empates sem gols contra Costa do Marfim e Brasil - este último, um jogo violento e de pouco futebol. Já nas oitavas de final, outra apresentação pobre e derrota para a eventual campeã Espanha, por 1 a 0.

A campanha abaixo das expectativas e o futebol pragmático apresentado pela seleção, com ênfase na organização defensiva e pouca criatividade, cobraram seu preço. O astro Cristiano Ronaldo, autor de só um gol em quatro jogos, foi brusco ao ser indagado sobre o motivo da eliminação: "Pergunte a Queiroz". O técnico foi demitido dois meses depois da Copa.

Um dos responsáveis por indicar a contratação de Cristiano ao Manchester United em 2003, Queiroz tinha proximidade com o atacante. Depois do atrito na Copa, porém, ele admitiu que se sentiu magoado com a postura do jogador. Atualmente os dois falam em respeito mútuo. Mas o técnico votou em Lionel Messi, e não em CR7, na eleição da Fifa para melhor do mundo em 2016.

Agora, em vez de comandar, a missão de Queiroz é frustrar Cristiano e a seleção portuguesa. O Irã apresentou um futebol com a marca de seu comandante até aqui: organizado na defesa, aplicado taticamente e compensando a falta de qualidade técnica com força física no ataque, especialmente em bolas paradas. Venceu o Marrocos no jogo de estreia e quase arrancou um empate da Espanha na segunda rodada, perdendo por 1 a 0 em um raro momento de desconcentração defensiva.

Com quatro pontos, Portugal precisa só empatar com os iranianos para avançar. Já a seleção asiática precisa vencer os favoritos para manter o sonho vivo na Rússia. Oito anos depois de chegar às oitavas de final com seu país, Queiroz agora terá que superá-lo para repetir o feito.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo