Copa 2018

Argentino faz vídeo sexista, pede desculpas, mas é suspenso de empresa

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

26/06/2018 15h55

Mais um vídeo de conteúdo sexista resultou em polêmica nesta Copa do Mundo da Rússia. Desta vez, um novo homem argentino foi o protagonista ao gravar com uma russa que repetia palavras chulas em espanhol. Identificado como Marcelo Génova, o torcedor acabou recriminado pelas autoridades, corre o risco de perder a identificação da Fifa e ainda foi suspenso do emprego.

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

O próprio Genova reconheceu o erro e pediu desculpas por intermédio de uma rede social. Não adiantou. A empresa Konecta emitiu um comunicado na tarde desta terça-feira em que confirma a suspensão do próprio funcionário, o mais novo homem envolvido em um vídeo sexista na Copa do Mundo.

“Aconteceu com um colaborador que pegou uma licença anual, que está na Rússia por razões estritamente pessoais e sem cumprir função alguma para a nossa empresa. Não reflete os nossos princípios, nem as políticas de igualdade de gênero e anti discriminatórias que promovemos”, escreveu.

Reprodução
Comunicado da Konecta-Argentina sobre o caso do torcedor Imagem: Reprodução

“Sua forma de agir se distingue muito da filosofia que cultivamos e proclamamos na nossa empresa, cuja é formada por 75% de mulheres entre os 6.000 colaboradores. (...) O comitê de ética, se resguardando do direito de defesa, vai definir o caso”, prometeu a firma.

“(...) Finalmente, sentimos a necessidade de pedir desculpas a todas as pessoas que se sentiram ofendidas por este lamentável feito e ratificamos o nosso compromisso em reforçar a conscientização dos nossos valores aos colaboradores”, concluiu a Konecta em comunicado.

Além da suspensão do próprio trabalho, Marcelo Genova pode perder o direito de seguir acompanhando a Argentina na Copa do Mundo. A Ministra de Segurança do país sul-americano, Patricia Bullrich, se pronunciou sobre o caso e pediu providências maiores contra o torcedor.

“Marcelo Génova é outro dos argentinos que se dedicou a parar uma jovem nas ruas da Rússia para falar barbaridades. Uma conduta de abuso sexista que repudiamos e pela qual pedimos às autoridades russas que se retirem a sua identificação de fã”, cobrou a ministra.

Génova se mostrou arrependido e pediu desculpas sobre o “erro horrível” que cometeu. “Sinto-me muito envergonhado. Por isso, quero que agora também viralize o meu pedido de desculpas, em primeiro a esta mulher russa, logo depois a rodas as mulheres e a todas as pessoas que se sentiram ofendidas por este episódio. Estou muito arrependido da minha atitude lamentável.”

Casos de sexismo contra torcedoras russas têm marcado a Copa do Mundo. Néstor Fernando Penovi, 47 anos, publicou um vídeo sexista com uma adolescente nascida no país-sede da Copa do Mundo e perdeu a sua identificação de torcedor.

Brasileiros também ocuparam as manchetes sobre este assunto. Até o momento, contudo, a única manifestação de autoridades ocorreu por parte do Ministério Público do Distrito Federal, que abriu investigação contra torcedores identificados. Nenhuma autoridade do governo federal, contudo, tratou de repudiar os atos sexistas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo