Copa 2018

México busca classificação diante da Suécia em teste final de Osorio

Martin Meissner/AP
Técnico do México, Juan Carlos Osorio quer conquistar de vez a confiança dos mexicanos Imagem: Martin Meissner/AP

Do UOL, em São Paulo

26/06/2018 21h00

Agora é tudo ou nada para o técnico Juan Carlos Osorio. Diante da Suécia, a seleção do México quer comprovar a boa campanha que vem fazendo na Copa do Mundo de 2018 e chegar às oitavas de final do torneio nesta quarta-feira (26), às 11 horas (de Brasília), de forma invicta.

Simule os classificados e o mata-mata do Mundial
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

As duas belas vitórias contra Alemanha e Coreia, respectivamente, ainda não convenceram os críticos do treinador do México. Por esse motivo, Juan Carlos Osorio não só luta pela classificação, ele quer cair de vez nas graças de todos os fãs da seleção mexicana.

O México lidera o Grupo F com seis pontos, é seguido por Alemanha e Suécia (três cada), e Coreia do Sul (nenhum ponto), mas que ainda não pode ser descartada. Os mexicanos garantem vaga e primeiro lugar do grupo com um empate; de outra forma as posições serão definidas nos critérios de desempate.

A caminhada de Osorio até a Copa da Rússia não foi fácil. Após deixar o São Paulo para assumir a seleção mexicana em outubro de 2015, ele arrancou com uma série invicta de 22 jogos e uma proposta de jogo ofensiva. Mas nem os bons resultados acabaram com as críticas pela metodologia diferente: o rodízio constante de jogadores.

Até hoje, nenhuma vez Osorio manteve uma escalação de um jogo para outro. Sua filosofia de sempre mexer no time se baseia em dois pilares: armar sua equipe em função das virtudes e fraquezas do adversário, e nunca deixar seus atletas entrarem em uma zona de conforto. Para ele, com a exceção de jogadores fora de série, ninguém consegue fazer mais de três jogos seguidos em alto nível.

Se as cobranças sobre o treinador já vinham mesmo com os bons resultados, seu trabalho ficou por um fio depois dos 7 a 0 sofridos para o Chile nas quartas de final da Copa América Centenário, em 2016. A pressão pela demissão de Osorio, oito meses depois de sua contratação, foi imensa. Ele pediu desculpas ao povo mexicano, classificou a goleada como um "desastre do futebol" e foi mantido.

Ele deu um salto grande para a reviravolta quando superou a atual campeã mundial Alemanha na primeira rodada da fase de grupos da Copa da Rússia. Foi uma surpresa para o mundo inteiro. Justamente com a metodologia questionada, Osório conseguiu montar um time que se adaptou aos desafios impostos pelos alemães. Em seguida, mais um triunfo, desta vez sobre a Coréia.

Agora, contra a Suécia, Osório tem a chance de provar aos dirigentes da seleção do México que eles fizeram certo em seguir confiando no treinador mesmo quando ninguém mais acreditava.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo