Topo

Nigéria

  • Athletico CAP
  • Atlético-MG AMG
  • Avaí AVA
  • Bahia BAH
  • Botafogo BOT
  • Ceará CEA
  • Corinthians COR
  • Coritiba CBA
  • Chapecoense CHA
  • Cruzeiro CRU
  • CSA CSA
  • Flamengo FLA
  • Fluminense FLU
  • Fortaleza FOR
  • Goiás GOI
  • Grêmio GRE
  • Internacional INT
  • Palmeiras PAL
  • Santos SAN
  • São Paulo SAO
  • Sport SPO
  • Vasco VAS

Rádio é acusada de racismo em paródia de hino da Nigéria

HENRY ROMERO/REUTERS
Obi Mikel durante execução do hino da Nigéria antes da partida contra a Argentina Imagem: HENRY ROMERO/REUTERS

Do UOL, em São Paulo

26/06/2018 17h32

A rádio Energia 97 foi acusada de racismo por algumas pessoas após compartilhar uma paródia do "hino" da Nigéria. Na última segunda-feira (25), a emissora FM publicou em sua página no Facebook uma música na qual compara os nigerianos ao popular meme "negão do WhatsApp", que circula na internet há mais de um ano. 

Simule resultados da última rodada e quem vai às oitavas
- Neymar S/A: a engrenagem por trás do maior jogador de futebol do Brasil
- De ídolo a homem de negócios, Ronaldo tem tudo a ver com a seleção atual

A paródia foi feita pelo programa Estádio 97, que mistura futebol e humor e está no ar desde 1999. Em uma adaptação da música "The Lion Sleeps Tonight", trilha do filme O Rei Leão, a rádio faz referência ao meme que se popularizou pelo aplicativo de mensagens instantâneas.

"Lá vem o negão, lá vem o negão, lá vem a negão / A piroca no WhatsApp eu vou te mandar / Vou fazer uma montagem para te enganar / Eu vou te f...", canta a paródia.

Após a publicação, alguns usuários da rede social se mostraram incomodados com a atitude da emissora.

"R A C I S T A S", escreveu um usuário. "Tomem vergonha na cara. Que mal (sic) gosto, que coisa ridícula", acrescentou outro.

Nos últimos meses, o meme "negão do WhatsApp" tem causado discussões entre muitas pessoas. Isso porque a imagem é considerada racista por reforçar o estereótipo do homem negro sexualizado.

Procurada pelo UOL Esporte nesta terça-feira (26), a Energia 97 informou não dispor de alguém no momento para comentar o assunto. Em seguida, a publicação foi apagada.

Mais Nigéria