Brasil

Pressionado, Coronel ganha R$ 75 mil na Conmebol e não pode ser demitido

Mauro Pimentel/AFP
Coronel Nunes ganha R$ 75 mil por função na Conmebol e só ele decide se sai do cargo Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone

Do UOL, em Moscou e em Sochi (Rússia)

26/06/2018 04h00

Presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes, o Coronel Nunes, é cada vez mais pressionado a deixar o cargo de representante brasileiro na Conmebol. A função lhe dá direito a um salário de US$ 20 mil (R$ 75 mil), além de garantir influência política. No entanto, só ele tem o poder de decidir se fica ou sai, independentemente do tamanho da pressão que só aumenta desde o seu voto fora do bloco sul-americano, indicando Marrocos e não a chapa de EUA/Canadá/México como sede da Copa de 2026.

Para ler esta notícia na íntegra, além de outras novidades dos bastidores da bola, acesse a coluna De Primeira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Brasil

Topo