Copa 2018

Bélgica bate Inglaterra, termina em primeiro e entra no caminho do Brasil

Do UOL, em São Paulo

28/06/2018 16h50

A Bélgica poderia ter ficado na chave teoricamente mais fácil, mas não quis saber de escolher adversário no mata-mata. Venceu a Inglaterra por 1 a 0 nesta quinta-feira (28), em Kaliningrado, terminou em primeiro lugar do grupo G e terá pela frente o caminho considerado mais complicado em busca do título. O que inclui um possível duelo contra o Brasil nas quartas de final.

- Assista ao gol de Inglaterra 0 x 1 Bélgica

Para que isso aconteça, no entanto, a seleção belga primeiro terá de vencer o Japão nas oitavas de final, na próxima segunda-feira (2), às 15h (horário de Brasília) - assim como a equipe de Tite precisará superar o México. Já a Inglaterra ficou com o chaveamento considerado mais tranquilo e vai encarar na próxima fase a Colômbia, terça-feira (3), às 15h.

Se a partida tivesse terminado empatada, os ingleses teriam ficado na liderança por terem recebido menos cartões amarelos na primeira fase que a equipe adversária (dois para a Inglaterra e cinco para a Bélgica, que levou dois nesta tarde). Mas o critério de desempate acabou não sendo necessário.

O melhor: Januzaj

Dan Mullan/Getty Images
Imagem: Dan Mullan/Getty Images

Ele impediu que o placar ficasse zerado em um jogo apático até demais. Januzaj não é titular da Bélgica, mas deu um bom motivo para Roberto Martinez considerar a chance de escalá-lo novamente. Aos cinco do segundo tempo, recebeu a bola na direita, cortou para o meio e acertou um lindo gol.

Januzaj saiu aplaudido aos 40 do segundo tempo para a entrada de Mertens, que quase marcou em seguida. Batshuayi conseguiu se machucar na comemoração do gol, ao chutar a bola contra a trave e vê-la rebater em seu próprio rosto. Apesar do susto, não houve complicações para o atacante.

Reprodução/Sportv
Imagem: Reprodução/Sportv

O pior: Rashford

Marko Djurica/Reuters
Imagem: Marko Djurica/Reuters

O gol perdido por Rashford aos 20 do segundo tempo deu ainda mais motivos para os torcedores acreditarem que a Inglaterra não tinha muita vontade de vencer a partida, já que um triunfo a colocaria na chave que muitos julgam mais complicada.

O jovem atacante do Manchester United se viu frente a frente com o gol e na condição de marcar, mas facilitou a defesa de Courtois. Muito pouco para o garoto que vislumbra fazer algum tipo de sombra para Harry Kane, o atual artilheiro da Copa.

Salvou em cima da linha

Marko Djurica/Reuters
Imagem: Marko Djurica/Reuters

Quando Cahill tirou a bola em cima da linha do gol inglês, aos nove do primeiro tempo, Bathuayi ergueu os braços e pediu gol para a Bélgica, mas o árbitro esloveno Damir Skomina apenas apontou para o pulso. O gesto foi um aviso de que seu relógio não havia sinalizado a entrada da bola, algo que de fato não aconteceu, como mostraram as câmeras de televisão.

Inglaterra tenta pela direita

Lee Smith/Reuters
Imagem: Lee Smith/Reuters

Embora limitados, Loftus-Cheek e Alexander-Arnold pareciam dispostos a impressionar Gareth Southgate entre a meia e a ponta direita. Com tabelas e descidas em velocidade, a dupla chegou até a linha de fundo algumas vezes no primeiro tempo, e a Inglaterra só não marcou porque Rashford, Vardy e até o zagueiro Cahill não aproveitaram os cruzamentos.

Aos 33, foi a vez do próprio Loftus-Cheek errar um cabeceio após levantamento de Arnold. Um pouco antes disso, aos 30, Arnold quase surpreendeu Courtois com uma tentativa de cruzamento que virou finalização e, por pouco, não acertou a trave direita do goleiro belga.

A busca por cartões

Ryan Pierse/Getty Images
Imagem: Ryan Pierse/Getty Images

Ainda no primeiro tempo, duas faltas sobre Danny Rose renderam amarelos para Tielemans e Dendoncker. A Inglaterra não levou cartões, mas a Bélgica pareceu indisposta a evitá-los em faltas que não precisava cometer.

Somando cinco cartões na primeira fase contra dois da Inglaterra, a Bélgica teria desvantagem no critério de 'fair play' se o placar terminasse empatado. Não foi necessário, mas isso não impediu o perfil oficial da seleção inglesa no Twitter de fazer graça com emojis quando os rivais foram advertidos com amarelo.

Desatenção marca início do jogo

Julian Finney/Getty Images
Imagem: Julian Finney/Getty Images

Os primeiros momentos da partida foram de toques precipitados e errados. Logo no primeiro minuto, Thorgan Hazard deu um péssimo passe para trás e entregou a bola de presente para Vardy, que cruzou rasteiro e viu Courtois salvar com os pés. Quatro minutos depois, aos cinco, a zaga da Bélgica deu espaço para Tielemans clarear a jogada e arriscar um chute que exigiu boa defesa de Pickford.

Torcidas vaiam toque de bola

A vaia é o maior sinal de desaprovação do futebol, e foi com ela que as duas torcidas se uniram em uma manifestação espontânea no fim do primeiro tempo. A partir dos 40, quando ambas as equipes apenas tocavam de lado e faziam triangulações sem objetividade, o som das arquibancadas deixou claro que o público não foi a Kaliningrado para ver aquilo.

Energias poupadas

Fabrizio Bensch/Reuters
Imagem: Fabrizio Bensch/Reuters

Mesmo com a briga pela liderança do Grupo G, os dois técnicos se agarraram ao fato de já estarem classificados e decidiram poupar alguns nomes. Do lado da Inglaterra, o artilheiro Harry Kane foi para o banco. Os belgas entraram em campo sem De Bruyne, Lukaku e Eden Hazard, que viu seu irmão, Thorgan Hazard, ser titular. Nenhum deles chegou a entrar.

Kompany estreia na Copa

Recuperado de uma lesão na panturrilha, o zagueiro do Manchester City enfim fez sua estreia na Copa do Mundo da Rússia. A previsão é de que ele possa voltar a ser titular já nas oitavas, mas, nesta quinta, só entrou aos 29 do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
INGLATERRA 0 X 1 BÉLGICA

Data e hora: 28 de junho de 2018, às 15h
Local: Estádio de Kaliningrado (Rússia)
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)
Auxiliares: Jure Paprotnik e Robert Vukan (Eslovênia)
Cartões amarelos: Tielemans, Dendoncker (Bélgica)
Gols: Januzaj, aos cinco minutos do segundo tempo (Bélgica)

INGLATERRA: Pickford; Jones, Stones (Maguire) e Cahill; Dier, Loftus-Cheek, Delph, Alexander-Arnold (Welbeck) e Danny Rose; Rashford e Vardy
Técnico: Gareth Southgate

BÉLGICA: Courtois; Dendoncker, Boyata e Vermaelen (Kompany); Fellaini, Dembele, Chadli e Thorgan Hazard; Januzaj (Mertens), Batshuayi e Tielemans
Técnico: Roberto Martinez

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo