Copa 2018

Após sofrer no início, Brasil vence México com autoridade em dia de Neymar

Danilo Lavieri, Dassler Marques, Felipe Pereira, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone

Do UOL, em Samara (Rússia)

02/07/2018 12h51

A seleção brasileira passou pelo quarto obstáculo na Rússia. Nesta segunda-feira (2), depois de avançar na fase de grupos com Suíça, Costa Rica e Sérvia, o Brasil de Tite mandou o México para casa, nas oitavas de final, em vitória por 2 a 0, em Samara. Com autoridade, embora o jogo contra o time de Juan Carlos Osorio tenha sido sofrido, criou as chances mais claras e ganhou com gols de Neymar e Roberto Firmino.

Assista aos gols de Brasil 2 x 0 México
- Brasil disputa vaga nas semis às 15h de 6ª; veja tabela das quartas

- Neymar faz o que CR7 e Messi não fizeram e passa Garrincha
- Osorio dá 1º golpe, mas Tite vence duelo no banco de reservas

O camisa 10, aliás, foi o grande nome do jogo e conseguiu mais uma vez convencer em todos os aspectos. Neymar deu assistência, anotou o gol decisivo, chegou a dois na Rússia e se isolou como artilheiro da era Tite, com 11 gols marcados. Ele foi o ponto de equilíbrio para o Brasil superar dificuldades iniciais impostas pelo México e retomar o controle de um jogo que começou difícil.

Ainda nesta segunda, o Brasil conhecerá seu próximo adversário para as quartas de final. Sem Casemiro, suspenso, vai até Kazan para enfrentar o vencedor do duelo entre Bélgica e Japão.

O melhor: Neymar

AFP / Fabrice Coffrini
Imagem: AFP / Fabrice Coffrini

Atuação decisiva. Se desdobrou muito sem a bola no início difícil de jogo, levou o Brasil à frente, amarelou marcador e ainda foi o criador do lance que decidiu a partida.

Laterais sofreram

REUTERS/Dylan Martinez
Imagem: REUTERS/Dylan Martinez

Em um jogo tão sólido do Brasil, difícil encontrar alguém que possa ser chamado de destaque negativo. Filipe Luís, substituto de Marcelo após problema na coluna, teve uma partida abaixo da anterior e sofreu com a marcação sobre Lozano. Chegou a receber amarelo. Fagner, pela direita, também passou alguns apuros defensivos, principalmente no primeiro tempo. Nenhum dos dois, no entanto, chegou a comprometer.

Osorio muda estratégia para pegar o Brasil e joga de peito aberto

Os mexicanos terminaram a primeira etapa com 49,3% de posse de bola, índice que reflete o equilíbrio das ações em Samara. A equipe de Osorio jogou com um volante a mais, o veterano Márquez, e trocou o sistema de 4-2-3-1 para o 4-1-4-1. Com marcação adiantada, obrigou o Brasil a rifar a bola em algumas saídas e criou perigo com inversões rápidas – Filipe Luís levou amarelo, Fagner quase levou também. Mesmo assim, Alisson não precisou fazer nenhuma grande defesa.

Equilíbrio do jogo passa por mudança tática de Tite

AP Photo/Thanassis Stavrakis
Imagem: AP Photo/Thanassis Stavrakis

Com dificuldades para marcar, o Brasil melhorou quando Tite passou o time para o 4-4-2. Coutinho jogou como ponta e liberou Neymar para jogar com Jesus. No segundo tempo, nova inversão, e Gabriel saiu da área para atuar pela esquerda. Assim, os brasileiros travaram o jogo mexicano e deixaram Neymar em posição mais decisiva.

Brasil consegue reação com Neymar e trabalho de Jesus

Getty Images
Imagem: Getty Images

No meio da etapa inicial, o Brasil equilibrou as ações. Diante de muito calor, o México reduziu o ritmo e Neymar começou seu recital, com auxílio de Gabriel Jesus com muita dedicação. Primeiro, deixou a marcação na saudade e exigiu trabalho de Ochoa, com linda defesa. Depois, deu bom passe para Coutinho, que perdeu chance de conclusão. Depois, amarelou mais um marcador na Rússia. Álvarez fez falta duríssima e recebeu amarelo.

México troca o marcador, mas Brasil encontra seu caminho com Neymar

Getty Images
Imagem: Getty Images

No intervalo, com Álvarez amarelado, Osorio sacou o veterano volante Rafa Márquez para trocar a marcação em Neymar. Passou o lateral para o meio, colocou Layún para jogar na linha defensiva, mas nem assim parou o camisa 10 do Brasil. Já aos 5 min, ele conduziu com inteligência para o centro, acertou passe de calcanhar e viu Willian, enfim, desencantar na Rússia. Uma bonita arrancada, um chute cruzado para... Neymar, ele mesmo, fazer de carrinho.

Com espaços, Brasil cria chances e define o jogo com Firmino

Getty Images
Imagem: Getty Images

Com a vantagem já no começo do segundo tempo, o Brasil começou a criar mais oportunidades, liderado por Neymar. Willian e Paulinho tiveram ótimas batidas a gol, mas encontraram Ochoa novamente inspirado. Com o controle defensivo, só esperou a melhor oportunidade do segundo gol. Fernandinho roubou no meio e lançou Neymar que tentou deslocar Ochoa e acabou deixando Firmino livre para fazer o segundo e dar início à festa em Samara.

O México morre no quarto jogo pela sétima Copa seguida

As duas primeiras partidas na Rússia foram marcantes e o México de Osorio sai da Copa de cabeça erguida. Isso não impede La Tri de ficar no mesmo estágio do Mundial pela sétima edição seguida. 1994 (Bulgária), 1998 (Alemanha), 2002 (Estados Unidos), 2006 e 2010 (Argentina) e 2014 (Holanda) tiveram eliminações como a desta segunda-feira.

Desfalque para as quartas de final

REUTERS/Dylan Martinez
Imagem: REUTERS/Dylan Martinez

Sensação mexicana na Rússia, o atacante Lozano, do PSV-HOL, deu trabalho. Ele, que já havia amarelado Filipe Luís, obrigou Casemiro a fazer falta no meio-campo. O volante levou amarelo e não jogará a próxima partida. Irritado com ele mesmo, Casemiro bateu a mão na cabeça após a advertência. Coutinho e Neymar, também pendurados, passaram ilesos.

Só a Suíça, em lance duvidoso, vazou o Brasil na Copa

Pelo terceiro jogo seguido, o Brasil saiu sem sofrer gols. Os mexicanos tiveram dez finalizações, conseguiram criar espaços e ter mais perigo no começo da partida, mas de novo esbarraram na defesa que teve Casemiro, Thiago Silva e Miranda, em especial, em nova jornada perfeita. Até aqui, apenas o suíço Steven Zuber, em jogada duvidosa, marcou contra os brasileiros na Rússia.

Brasil x México é top 3 entre jogos de maior calor na Copa

AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL
Imagem: AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL

Com média de 33º C, Brasil x México se tornou um dos jogos de maior calor na Copa do Mundo. Japão x Polônia, com 36 graus em Volgogrado, ainda lidera esse ranking, que tem Arábia Saudita x Egito com 35º C, na mesma sede, em segundo lugar. Coreia do Sul x Mexico, com 33º C em Rostov, ficou na mesma temperatura do duelo em Samara. Preocupada com a situação, a comissão de Tite reforçou a hidratação para os atletas durante o confronto.

FICHA TÉCNICA

Brasil 2 x 0 México

Local: Arena Samara, em Samara (Rússia)
Data: 02/07/2018
Horário: 11h (de Brasília)
Público: 41.970 torcedores
Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)
Assistentes: Elenito di Liberatore e Mauro Tonolini (Itália)
Gols: Neymar (5’/2ºT) e Roberto Firmino (43’/2ºT)
Cartões amarelos: Casemiro e Filipe Luís (Brasil); Álvarez, Hector Herrera, Guardado e Salcedo (México)

Brasil: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda, Filipe Luís; Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Coutinho (Firmino); Willian (Marquinhos), Gabriel Jesus e Neymar. Técnico: Tite

México Ochoa; Alvarez (Jonathan dos Santos), Salcedo, Hugo Ayala, Gallardo; Rafa Márquez (Layún), Herrera, Guardado, Vela, Lozano; Chicharito Hernández (Raúl Jiménez). Técnico: Juan Carlos Osorio

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo