Rússia

Mário Fernandes recebe consulta do Valencia, mas deixar a Rússia é difícil

Julian Finney/Getty Images
Mário Fernandes comemora gol da Rússia em jogo contra o Egito Imagem: Julian Finney/Getty Images

Marcus Alves

Colaboração para o UOL Esporte, de Lisboa (POR)

10/07/2018 04h00

Um dos grandes nomes da Copa do Mundo, Mário Fernandes se destacou na surpreendente campanha da anfitriã Rússia, que conseguiu chegar até as quartas de final e parou apenas contra a Croácia nos pênaltis. Em alta no mercado, o lateral-direito recebeu diversas consultas, entre elas, a do Valencia, que perguntou sobre a sua situação no CSKA Moscou.

- Por que perdemos? Os fatores que contribuíram para a queda da seleção
- Perrengues na Rússia: de motorista dorminhoco a hotel de filme de terror
Copa mostra que árbitro de vídeo pode minar agressões e "malandragens"

O empresário Jorge Machado, que cuida de sua carreira desde o Grêmio, é o responsável por conduzir o assunto ao lado de seus parceiros.

Pessoas próximas ao atleta de 27 anos confirmaram o contato ao UOL Esporte. Com o fim da participação russa no Mundial, Mário aproveitará para descansar ao lado de sua família em São Caetano do Sul, na região da grande São Paulo.

Ao lado do irmão e ex-atacante Jô e do pai Mario Pérsio Fernandes, o Bagué, ele mantém um projeto social em sua cidade-natal que inclui um time amador chamado Brothers MJ (as iniciais dos irmãos). A princípio, serão 20 dias de férias concedidos pelo CSKA antes de ter de reapresentar para a estreia no Campeonato Russo em 31 de julho.

A expectativa é de que, nesse intervalo de tempo, o seu futuro seja definido por seus representantes.

Ao fim da partida contra a Croácia, em conversa com repórteres na zona mista de imprensa, ele sinalizou que não pretende deixar Moscou. “Minha vontade é continuar na Rússia. Gostei muito daqui”, disse.

O desejo de seguir no CSKA não chega a ser uma novidade para quem trabalha com ele. Pouco afeito a mudanças e muito introvertido, descartou ser vendido em outras janelas de transferências para clubes ainda mais representativos que o Valencia.

Desde 2012 na capital russa, mora a 50km do centro, no distrito de Vatutinki, não dirige e tem a companhia no dia a dia do amigo Justino, que conhece desde os primeiros passos em São Caetano. O irmão Jô se reveza ao lado de outros familiares para fazer companhia também. O idioma russo ainda é um obstáculo, mas nada que o incomode.

Em seu contato, o Valencia ouviu que o CSKA aceita conversar somente em caso de ofertas superiores a 20 milhões de euros (R$ 88 milhões).

O maior empecilho para que qualquer negócio avance é a postura do próprio lateral, que balançou as redes uma vez e deu outra assistência no Mundial. Outro do clube russo que também sofre com o assédio do restante da Europa é o meia Aleksander Golovin, que tem conversas em andamento com o Chelsea.

É considerado improvável, no entanto, que o presidente Yevgeni Giner aceite liberar os dois jogadores na mesma janela de transferências.

Com cidadania russa desde 2016, Mário Fernandes tem apenas três gols em 258 partidas realizadas com o CSKA. O seu contrato com a equipe se encerra em 2022.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Rússia

Topo