Copa 2018

Presidente da Fifa celebra sucesso do VAR: "gesto ganhou o mundo"

Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images
O juiz americano Mark Geiger sinaliza revisão de lance no jogo entre Coreia do Sul e Alemanha Imagem: Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

11/07/2018 08h57

O presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, considerou um sucesso a utilização do sistema de árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês) em uma Copa do Mundo pela primeira vez. Em artigo publicado no jornal O Estado de São Paulo, o dirigente ressaltou que uma prova da aceitação é que o gesto feito pelos juízes para a utilização do recurso eletrônico se popularizou nas arquibancadas.

- Por que perdemos? Os fatores que contribuíram para a queda da seleção
- Perrengues na Rússia: de motorista dorminhoco a hotel de filme de terror
Copa mostra que árbitro de vídeo pode minar agressões e "malandragens"

“Confesso: testemunhar o nascimento dessa atitude me enche de orgulho da equipe que, ao longo de dois anos, testou e refinou a aplicação do VAR mundo afora”, declarou Infantino.

O suíço afirmou que a ideia por trás do árbitro de vídeo é diminuir o número de erros que podem decidir uma partida. Isso foi o que aconteceu, segundo ele, nas 15 vezes em que o sistema foi requisitado até o momento na Copa. Para o cartola, a maior quantidade de pênaltis marcados ocorre porque não há mais lances que passam despercebidos.

Darren Staples 17.jun.2018/Reuters
Gianni Infantino (à dir.), presidente da Fifa, acompanha o jogo entre Brasil e Suíça Imagem: Darren Staples 17.jun.2018/Reuters

“O que o árbitro de vídeo não vai fazer é eliminar os erros, acabar com a falibilidade humana, revogar a subjetividade nas decisões arbitrais ou evitar a polêmica no futebol. E sabe o quê? Que ótimo que seja assim”, complementou.

Infantino também falou, no texto, que a realização do Mundial na Rússia está sendo positiva: “Basta sair por aí e perguntar aos torcedores, atletas, jornalistas, integrantes das delegações.” O cartola elogiou o país-sede e disse que a Copa é o espetáculo mais bonito que existe, uma das manifestações sociais e culturais mais poderosas e inclusivas do planeta.

“Na verdade, basta olhar ao redor e constatar o ambiente que contagia a Rússia estes dias: nada poderia ser mais distante da suposta frieza que um bocado de gente esperava.”

Para o suíço, a Fifa deve agir como “guardiã dessa enorme fonte de humanidade [a Copa do Mundo] — seja assegurando justiça dentro do campo ou pregando a ética e o respeito entre todos os que orbitam em torno dele.”

Infantino, 48, está no comando da Fifa desde 26 de fevereiro de 2016. Antes, foi secretário-geral da Uefa. Ele assumiu a presidência no lugar do compatriota Joseph Blatter, que renunciou ao cargo após suspeitas de corrupção - sendo posteriormente suspenso de atividades relacionadas ao futebol.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo