SEL Pós-Jogo

01 de Julho - Oitavas de final

  • x
    Pênaltis

Jogo do pé torto

REUTERS/Jason Cairnduff

Em jogo com seis pênaltis perdidos, goleiro salva Modric e leva a Croácia às quartas

Croácia x Dinamarca foi um jogo tão ruim que nem pênalti os atletas conseguiram bater direito. Mérito dos goleiros Subasic e Kasper Schmeichel, que defenderam seis cobranças (três cada um).

O primeiro erro aconteceu no segundo tempo da prorrogação. E dos pés de quem menos se espera. Luka Modric, principal nome da Croácia na primeira fase da Copa, teve a oportunidade de classificar seu país, a quatro minutos do final da partida. Bateu mal, e Kasper Schmeichel defendeu. Seu pai Peter, campeão da Eurocopa em 1992 e ídolo do Manchester United, vibrou nas tribunas do estádio Nizhny Novgorod. Mas a alegria dos escandinavos parou por aí.

A decisão foi para os pênaltis, e os jogadores continuaram falhando. Quem roubou a cena foi Subasic. O goleiro croata, que havia falhado aos 50 segundos de jogo, no gol de Mathias Jorgensen, não só se redimiu como salvou a pele de Modric, que correu o risco de voltar ao seu país como vilão.

Os pênaltis ao menos garantiram emoção a uma partida que teve um início frenético, com dois gols em menos de três minutos, mas que apresentou baixa qualidade técnica. Nas quartas de final, a ex-república da Iugoslávia enfrentará os russos.

ler mais

Estava muito quente, muito difícil para correr. Poderíamos ter acabado com o jogo antes dos pênaltis, mas não conseguimos passar sem um grande drama. Complicado perder o pênalti, porque eu passei a manhã inteira estudando como fazer o gol no Schemeichel

Luka Modric

Luka Modric, Camisa 10 croata

Vai levar algum tempo antes de seguirmos (em frente). Tudo está meio m... agora. Eu realmente não sei o que dizer. É uma sensação estranha. Há enorme decepção, mas também um grande orgulho em nosso desempenho. Acho que fomos a melhor equipe no segundo tempo
ler mais

Kasper Schmeichel

Kasper Schmeichel, que defendeu três pênaltis

Eu sinto muito por Kasper e toda a equipe. Mas isso é o que pode acontecer nos pênaltis, e é a brutalidade do futebol. A Croácia é o melhor time da Europa para os contra-ataques. Ter o controle era importante e achei que tínhamos isso no segundo tempo
ler mais

Age Hareide

Age Hareide, técnico da Dinamarca

Blogueiros comentam

  • PVC

    Schmeichel foi o personagem do jogo e quase igualou o pai. Mas o cara do jogo foi Rakitic. Recordista de passes certos, liderou o meio de campo da Croácia

  • Juca Kfouri

    Acertar o gol era um problema para os dois times, todos com necessidade de botar o pé na forma. Messi, Cristiano Ronaldo, Modric, todos perderam pênaltis na Copa

  • Mauro Beting

    O legado histórico esportivo da grande Iugoslávia ficou para a Sérvia. Mas quem joga bola é a Croácia que pode ir longe pelo lado menos complicado da Copa

Foram bem

  • Subasic

    Falhou no primeiro gol, mas se redimiu ao defender três pênaltis e classificar a Croácia para as quartas

    Imagem: Jamie Squire/Fifa/Getty Images
  • Kasper Schmeichel

    Confirmou o status de ser um dos melhores goleiros da Copa, ao defender três cobranças de pênalti

Foram mal

  • Eriksen

    O camisa 10, grande esperança da Dinamarca na Copa, pouco apareceu no jogo e ainda perdeu o primeiro pênalti na disputa final

    Imagem: Simon Hofmann - FIFA/FIFA via Getty Images
  • Luka Modric

    Destaque da Croácia na 1ª fase, camisa 10 só apareceu no final do jogo - deu o passe para Rebic sofrer o pênalti. Porém, bateu mal e perdeu

    Imagem: Francois Nel/Getty Images
Jamie Squire - FIFA/FIFA via Getty Images Jamie Squire - FIFA/FIFA via Getty Images

Momento chave

Um pênalti defendido por Kasper Schmeichel, aos 11 minutos do segundo tempo da prorrogação, deu sobrevida à Dinamarca. Após ótima assistência de Modric, Rebic driblou o goleiro escandinavo e ficou com o gol vazio à sua frente para marcar. Mathias Jorgensen não permitiu, ao dar um carrinho por trás e cometer a penalidade. Modric teve no seu pé direito a oportunidade de fazer o gol da classificação. Mas bateu mal, rasteiro e sem força, e facilitou a vida do camisa 1. Ali ficou definido que o confronto seria decidido na disputa por pênaltis.

Curtiu? Compartilhe.

Topo