Resumo do Dia
  • x

15/07

Fica na memória

O golaço, o meme e "aquele" torcedor. O que a Copa deixa para posteridade

AFP PHOTO / FRANCK FIFE AFP PHOTO / FRANCK FIFE

Jogo do dia

França 4x2 Croácia

Vinte anos depois do primeiro título, a França volta a erguer a Copa do Mundo. A campanha consistente na Rússia foi brindada por uma vitória com autoridade, graças a gols de Griezmann, Pogba, Mbappé e um contra, de Mandzukic. Com seis triunfos e um empate, a seleção de Didier Deschamps celebra o bicampeonato mundial

ler mais

Os campeões dos números

Catherine Ivill/Getty Images Catherine Ivill/Getty Images

O craque - Kylian Mbappé

Na eleição oficial, promovida pela Fifa, deu o croata Luka Modric. Mas é difícil negar que está foi a Copa de Kylian Mbappé. O jovem de 19 anos brilhou particularmente na fase eliminatória, com gols diante da Argentina e na final contra a Croácia. 

O companheiro de Neymar no PSG terminou a Copa com quatro gols marcados e eleito o melhor jogador jovem do torneio. Mbappé também se tornou o mais novo a marcar numa final desde Pelé em 1958. 

ler mais
Laurence Griffiths/Getty Images Laurence Griffiths/Getty Images

O jogaço - França 4x3 Argentina

A fase da mata-mata da Copa começou de forma alucinante, com a vitória da França sobre a Argentina em Kazan, em jogo de sete gols. O confronto de oitavas de final contou com duas viradas, golaços e uma atuação memorável de Kylian Mbappé.

O atacante francês brilhou com dois gols no segundo tempo e uma arrancada na etapa inicial, que gerou um pênalti a favor da França. Mbappé deixou a partida cercado de comparações, envolvendo de Pelé a Ronaldo.

A partida em Kazan foi histórica também, pois pode ter sido a última de Lionel Messi em Copas. O craque argentino já disputou quatro Mundiais e ainda não confirmou se seguirá defendendo a seleção de seu país. 

ler mais
Laurence Griffiths/Getty Images Laurence Griffiths/Getty Images

Golaço - Benjamin Pavard

A França vivia um momento delicado contra a Argentina, em desvantagem de 2 a 1 no começo do segundo tempo, quando o lateral Benjamin Pavard acertou um chute praticamente perfeito, de pé direito, de fora da área. O disparo cruzado acertou o ângulo do goleiro Franco Armani e marcou a virada francesa no confronto.

Antes do confronto que colocou a seleção francesa nas quartas de final da Copa do Mundo, o zagueiro só havia feito três gols na carreira. Dois pelo Stuttgart, seu atual clube, em 2016 e 2017, e um pelo time B do Lille, em 2016.

ler mais
Gleb Garanich/Reuters Gleb Garanich/Reuters

Melhor técnico - Roberto Martínez

O francês Didier Deschamps foi o campeão, Zlatko Dalic conseguiu a proeza inédita de levar a Croácia até a decisão, mas o trabalho mais consistente talvez tenha sido o do espanhol Roberto Martínez à frente da Bélgica.

Entre os argumentos a favor de Martínez: 1) a eliminação do favorito Brasil nas quartas de final; 2) o consenso de que a Bélgica jogou o futebol mais bonito da Copa; 3) a façanha de conseguir a melhor campanha do país na história do torneio. 

ler mais
Getty Images Getty Images

A decepção - Alemanha caiu cedo

Apesar da épica virada sobre a Suécia na segunda rodada, a seleção campeã de 2014 foi a maior decepção da Copa do Mundo deste ano. A Alemanha terminou a primeira fase na última colocação do Grupo F, com derrotas surpreendentes para México (logo na estreia) e para a Coreia do Sul, no último jogo.

A seleção de Ozil, Muller e companhia sofreu com um péssimo desempenho ofensivo e fez apenas dois gols na campanha. Mesmo com a frustração na Rússia, a federação alemã confirmou que o técnico Joachim Low (já com três Copas no currículo) segue no cargo para mais um ciclo. 

ler mais
Simon Hofmann - FIFA/FIFA via Getty Images Simon Hofmann - FIFA/FIFA via Getty Images

A polêmica - A Copa do VAR

O gestual do futebol ganhou na Copa da Rússia um novo sinal: o movimento de mãos que indica uma televisão. Quando isso acontece, significa que jogadores estão pedindo para que o juiz revise algum lance duvidoso com ajuda do árbitro em vídeo.

Apesar do impacto cultural nos primeiros dias, a recepção ao VAR (sigla em inglês para assistente de arbitragem em vídeo) foi positiva. Depois da primeira fase, a Fifa organizou uma coletiva de imprensa para celebrar uma taxa de acerto superior a 99% - segundo a própria entidade. 

No mata-mata o VAR praticamente sumiu e foi reaparecer apenas na decisão entre França e Croácia, quando o árbitro argentino Nestor Pitana usou o vídeo para assinalar um pênalti a favor dos franceses, em lance importante para o placar final. 

ler mais
Reprodução Reprodução

O torcedor - 'Psicopata do Hexa'

Ele apareceu de repente em Samara, na transmissão do jogo do Brasil com o México, nas oitavas. Em pouco tempo a imagem do russo erguendo a bandeira do Brasil viralizou e iniciou-se uma corrida para descobrir quem era o personagem.

Em algumas horas o russo Yuri Torski foi identificado e ganhou o apelido de 'Psicopata do Hexa'. O torcedor então foi convidado para ver o jogo seguinte da seleção, mas acabou testemunhando a eliminação diante da Bélgica nas quartas. Mesmo assim, manteve a fama com brasileiros, com aparições na TV e ganhando milhares de seguidores das redes sociais. 

ler mais
Reprodução Reprodução

Meme - Quedas de Neymar

As quedas de Neymar provocaram uma onda de críticas e rejeição contra o brasileiro, em alguns segmentos da imprensa internacional. O camisa 10 ainda foi alvo de uma série de brincadeiras na internet, com memes diversos e games. Rolando na grama, o atacante até inspirou a criação de uma tipografia exclusiva.

Mas, justiça seja feita, Neymar não foi o único jogador da Copa a abusar das quedas e a exagerar em reações a faltas. O campeão Kylian Mbappé e os ingleses (principalmente no jogo contra a Colômbia) também abusaram do cai-cai. 

ler mais
Reprodução Reprodução

Destaque da TV - Luis Roberto

(Por Maurício Stycer)

Em qualquer lista com os maiores destaques na TV durante a Copa é preciso colocar o  nome de Luís Roberto. Em dupla com o comentarista Roger Flores, o narrador foi uma das unanimidades da Globo durante o Mundial e, ao menos neste momento, superou Cleber Machado no posto de número 2 da emissora – narrou uma das semifinais e acompanhou a decisão do terceiro lugar. O grande mistério é: por que só agora? Esta foi a sexta Copa de Luís Roberto na Globo.

Arrisco algumas explicações para o sucesso do narrador: emoção, humor, dupla afiada, erros divertidos, bordões, memes e redes sociais.

ler mais
Rodrigo Villalba Rodrigo Villalba

A foto - "União de povos"

A foto que foi apontada como a mais simbólica da Copa saiu dos dedos e da criatividade de um brasileiro, que tem dez anos de carreira e está em seu segundo Mundial. A imagem mostra o braço do senegalês Sadio Mané se encontrando com o do brasileiro naturalizado polonês Thiago Cionek em um forte aperto de mão.

A imagem, feita na estreia das duas seleções, é de autoria do repórter fotográfico Rodrigo Villalba e fruto de uma ideia que surgiu logo na entrada em campo.

"Depois de trabalhar no jogo do Brasil, que é uma pauleira, fui fazer esse Polônia x Senegal mais relaxado", afirmou o fotógrafo. "Logo me chamou atenção essa diferença gritante no tom da pele, os poloneses muito brancos e os senegaleses muito negros. Pensei que só a Copa do Mundo pode unir esses dois povos tão distantes, com culturas, línguas e costumes tão diferentes", acrescentou.

ler mais
REUTERS/Gonzalo Fuentes REUTERS/Gonzalo Fuentes

Curtiu? Compartilhe.

Topo