UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Um shopping virou motivo de discórdia para o Atlético-MG ter o seu estádio

Reprodução internet
Imagem de projeto para um futuro estádio do Atlético-MG Imagem: Reprodução internet
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL

15/09/2017 04h00

O projeto da "casa própria" não agrada a todos os conselheiros no Atlético-MG. Há quem não concorde com a situação. Um grupo do conselho se baseia em um argumento para rechaçar a possibilidade de erguer o estádio no bairro Califórnia, região noroeste de Belo Horizonte, às margens da via expressa que liga a capital a Contagem.

O grupo é contrário a uma ideia apresentada pelo presidente Daniel Nepomuceno. O Galo quer arrecadar R$ 250 milhões com a venda de 50,1% do Diamond Mall, shopping center que pertence ao clube e está situado no bairro de Lourdes, zona nobre de BH. A ala contrária à venda do local defende que o valor precisa ser maior.

A MRV, patrocinadora alvinegra, doou o terreno avaliado em R$ 50 milhões e adquiriu o naming rights por R$ 60 milhões. A empresa ainda terá camarotes na arena que levará o seu nome. O Banco BMG, presidido por Ricardo Guimarães, ex-mandatário alvinegro, também fará investimentos para a construção do estádio, avaliados em R$ 60 milhões. A ideia do empresário é comprar cadeiras cativas no local. O Galo pleiteia mais R$ 40 milhões vendendo outras cadeiras. O estádio deve custar mais de R$ 450 milhões. O projeto será votado no conselho em 18 de setembro. (por Thiago Fernandes)

Crise congela negociação de São Paulo e Renan Ribeiro

A situação ruim do São Paulo no Campeonato Brasileiro fez com que as conversas para a renovação do contrato de Renan Ribeiro. O goleiro tem vínculo com o Tricolor até maio de 2018 e os seus representantes já tinham se reunido com os dirigentes do clube para discutir o assunto. A primeira oferta, que seria até o fim de 2021, não agradou o arqueiro.

Mais UOL de Primeira

Topo