UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Para ter Petros, SP paga dívida do Corinthians com empresário até 2020

Daniel Vorley/AGIF
Petros, volante do São Paulo, comemora gol marcado contra o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro Imagem: Daniel Vorley/AGIF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

27/10/2017 04h00

Para fechar a contratação de Petros, o São Paulo precisou pagar uma dívida que o Corinthians tinha com o empresário Fernando Garcia. A De Primeira teve acesso aos contratos do Tricolor com o Betis, da Espanha, e com o Hortolândia, clube que tem ligação com o agente. Os espanhóis tinham 50% dos direitos econômicos do atleta e receberam 2,5 milhões de euros (R$ 9,37 milhões). Como o Corinthians também tinha um percentual, era necessária a anuência do clube do Parque São Jorge para que o meio-campista pudesse assinar o vínculo com o Tricolor.

Dono de 25% dos direitos por meio do Hortolândia, Fernando Garcia era credor de cerca de R$ 4 milhões do Corinthians por conta de uma dívida envolvendo negociações anteriores pelo zagueiro Vílson, o meia Matheus Pereira e do próprio Petros. Por isso, o Alvinegro abriu mão de sua parte da transação com o São Paulo, que acertou o pagamento de 1,5 milhão de euros em 40 parcelas de 37,5 mil euros direto ao clube do interior. A primeira prestação teve vencimento no dia 30 de julho e a última será no dia 30 de novembro de 2020. Ficou acordado que o pagamento deve ser feito com a cotação do real entre R$ 3,30 e no máximo R$ 4,10. (Por Diego Salgado e José Eduardo Martins)

São Paulo abre contrato de Cipriano após pedido da Justiça

O São Paulo acatou uma ação cautelar de exibição de documentos e apresentou à Justiça o contrato de compra do meia-atacante Marquinhos Cipriano, atualmente no time sub-20. O Tricolor investiu R$ 1 milhão para comprar 70% dos direitos econômicos do Desportivo Brasil em 2015.
 

Mais UOL de Primeira

Topo