Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Rueda dizia não ter proposta, mas auxiliares já tinham entregado casa no RJ

Staff Images/Flamengo
Reinaldo Rueda comunicou o Flamengo que vai assumir o Chile. Antes, seus auxiliares já tinham esvaziado imóveis Imagem: Staff Images/Flamengo
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

09/01/2018 04h00

Reinaldo Rueda negou o quanto pôde suas negociações com a seleção do Chile. Em contato com dirigentes do clube e na chegada ao Rio de Janeiro, na manhã da última segunda (8), se esquivava e dizia não ter nada resolvido para deixar o Flamengo. A prática, no entanto, se mostrava bem diferente do discurso. Enquanto o treinador tentava despistar as evidências, seus auxiliares já sabiam da decisão de deixar o Rio de Janeiro. Tanto que, no último fim de semana, tão logo chegaram à cidade, Bernardo Redín e Carlos Velasco finalizaram pendências e entregaram as respectivas casas em que moravam.

Paralelamente a isso, agilizavam questões burocráticas. Tudo definido para que o “Mister”, como chamam o chefe, chegasse na segunda-feira e batesse o martelo. A saída já estava resolvida. Menos para a diretoria do Flamengo, que acreditou na palavra de Reinaldo Rueda até o início da noite de segunda. Ao fim do dia, a decisão que já era sabida por Redín e Velasco se tornou pública. Com a mudança resolvida, o trio trabalhará na seleção do Chile. (Por Pedro Ivo Almeida)

Argentina não ganha todas na Conmebol

Uma regra que favoreceria os argentinos na Libertadores 2018 foi retirada do regulamento de licenças da Conmebol, a cartilha que os clubes terão que seguir para poder participar dos torneios da entidade. Na primeira versão, do início de 2017, a confederação havia estipulado que os países com o calendário de futebol de janeiro a dezembro estariam sujeitos ao regulamento para a Libertadores-18, mas aqueles com as datas espelhadas à Europa, de agosto a maio do ano seguinte, só deveriam passar a obedecer as regras na Libertadores-2019.

Mais UOL de Primeira