UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Palmeiras faz sindicância e pode punir sócios que xingaram presidente e COF

Ale Cabral/AGIF
Maurício Galiotte Imagem: Ale Cabral/AGIF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Moscou (RUS)

23/03/2018 04h00

Dois sócios do Palmeiras, um deles também conselheiro do clube, estão sob sindicância por terem proferido xingamentos nas redes sociais – um direcionado ao presidente Mauricio Galiotte, outro ao Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), órgão responsável por fiscalizar a gestão da diretoria. Membros de um grupo de oposição a Galiotte, eles podem ser advertidos ou até suspensos após terem seus casos analisados.

Cada um terá seu caso analisado em um ambiente distinto. Adauto Lima, que é conselheiro e chamou o COF de "lixo" no Twitter após acusar vazamento de informações, teve sindicância instaurada diretamente no Conselho Deliberativo do Palmeiras. Já Lucas Amorim, que é apenas associado, ofendeu Galiotte com um palavrão na rede social no dia da derrota para o Corinthians, em 24 de fevereiro, terá sua situação analisada pelo departamento de sindicância da diretoria.

O estatuto do Palmeiras diz que é proibido aos sócios "desacatar, por atos ou palavras, os membros dos poderes ou órgãos constitutivos da administração social, os diretores, diretores adjuntos, representantes, auxiliares ou empregados no exercício das respectivas funções ou no cumprimento de ordem superior". (Por Leandro Miranda)

Futuro presidente da CBF passeia e evita contato com jogadores

Candidato único para as eleições da CBF em abril, Rogério Caboclo viajou a Moscou, diferentemente do atual presidente Marco Polo Del Nero, que não vai ao exterior desde 2015. Acompanhado do secretário-geral da entidade, Walter Feldman, Caboclo mantém uma rotina distante dos jogadores da seleção brasileira.

Mais UOL de Primeira

Topo