UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Compromisso político fez presidente do TJD adiar julgamento de Jailson

THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jailson na cobrança de pênaltis com o Santos; goleiro teve julgamento adiado por compromisso político do presidente do TJD Imagem: THIAGO BERNARDES/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

29/03/2018 04h00

Um compromisso político do delegado Antônio Olim, presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), foi o motivo do adiamento da sessão que julgará o recurso do goleiro Jailson, do Palmeiras, de segunda (2 de abril) para terça-feira (3). Olim, que também é deputado estadual pelo PP, estará na abertura do 62º Congresso Estadual de Municípios em Santos, com a presença de prefeitos, do governador Geraldo Alckmin e do presidente Michel Temer. Na quinta (5), ele voltará ao evento para falar sobre segurança pública.

Olim esteve no centro de uma polêmica recente envolvendo o julgamento de Jailson. O presidente do TJD insistiu em julgar a expulsão do goleiro contra o Corinthians, ocorrida em 24 de fevereiro, na mesma sessão de outros casos envolvendo o Palmeiras, o que acabou causando a demora para que o tema fosse apreciado somente em 19 de março. Condenado a três jogos de suspensão, o jogador alviverde só cumpriu dois até agora. Caso sua pena não seja reduzida no julgamento da terça, ele pode ficar fora do segundo jogo da final do Paulistão – neste caso, porém, o Palmeiras ainda teria a opção de recorrer ao STJD e pedir um novo efeito suspensivo para liberar o goleiro para a decisão. (Por Leandro Miranda)

Palmeiras tenta levar briga com Valdivia para Justiça do Trabalho

O Palmeiras tenta levar uma briga financeira com Valdivia para a Justiça do Trabalho. O chileno cobra do clube uma comissão devida à sua empresa, a Valdivia Sports, por intermediar a própria contratação.

Mais UOL de Primeira

Topo