UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Mattos conversou com Cruzeiro após Brasileiro pelo Palmeiras, diz cartola

Daniel Vorley/AGIF
Alexandre Mattos, diretor do Palmeiras; cartola negociou com Cruzeiro no começo de 2017, segundo ex-dirigente mineiro Imagem: Daniel Vorley/AGIF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

09/05/2018 04h00

Ex-vice do Cruzeiro, Bruno Vicintin lançou, na última segunda, o livro “Caminhos do Penta”, que conta detalhes da temporada 2017 do clube mineiro, que ganhou o quinto título da Copa do Brasil. Na publicação, o cartola revela que houve uma negociação para que Alexandre Mattos, diretor-executivo do Palmeiras, voltasse à Toca da Raposa, onde foi bicampeão brasileiro. "No fim de 2016, entrei em contato novamente com Alexandre. Mattos me disse que, naquele momento, estava totalmente focado no título, mas ressaltou que, assim que fosse campeão, estaria livre para negociar, já que tinha contrato no fim. Por conta disso, pediu sigilo em nossas conversas", conta Vicintin.

Depois do título, segundo o livro, Mattos foi a BH e teria explicado que até poderia aceitar, mas mudou de ideia ao descobrir que a notícia havia vazado nos bastidores pelo então mandatário Gilvan de Pinho Tavares e também ao receber uma ligação de Zezé Perrella, que não tem o nome citado na obra do autor. O ex-presidente do Cruzeiro falou sobre o instável momento político do clube e o convenceu de que o retorno a Belo Horizonte não era a melhor alternativa no momento. O diretor palmeirense então teria ligado a Vicintin, de quem é amigo desde os tempos de arquibancada, para dizer que o vazamento impediria o negócio. Procurado para falar sobre o caso à De Primeira, Alexandre Mattos optou por não se pronunciar. Ele alegou ser "coisa do passado" e preferiu não comentar o assunto. (Por Thiago Fernandes)

Palmeiras pede adiamento de julgamento de Galiotte

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, teve seu julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP), que estava marcado para segunda-feira, adiado para a próxima semana. O próprio clube pediu o adiamento, com o objetivo de juntar provas para se defender de outra denúncia: a de objetos arremessados no gramado do Allianz Parque na final do Campeonato Paulista contra o Corinthians. Como o TJD tem por praxe julgar casos do mesmo clube juntos, a decisão sobre Galiotte também foi postergada.

Mais UOL de Primeira

Topo