Topo

UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Empresa recebia 20% até em contrato que não era dela no Corinthians

Divulgação/Agência Corinthians
Contrato polêmico foi fechado na gestão de Roberto de Andrade; Andrés quer o rompimento Imagem: Divulgação/Agência Corinthians
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

18/05/2018 04h00

O principal argumento do Corinthians para romper o contrato com a Prowerful, que intermediava todos os licenciamentos do clube, é o fato de a empresa receber comissão ao renovar contratos que já existiam antes de sua chegada. O acordo, obtido pela De Primeira, prevê 30% de comissão sobre qualquer renovação de contrato já vigente com aumento de ao menos 10% no valor; 20% sobre renovações sem aumento de valor e 30% sobre novos negócios trazidos. Na prática, o clube alvinegro não pode firmar ou renovar acordos sem passar pela agência.

A Prowerful levou o caso à Justiça e aponta um crescimento expressivo nas receitas de licenciamento desde sua contratação, em 2015. Os valores teriam saltado de cerca de R$ 2,5 milhões para cerca de R$ 10 milhões. Ainda segundo a agência, há negócios que totalizam R$ 18 milhões parados no departamento de marketing do clube, pendentes de aprovação. A agência vê quebra de contrato no comportamento do Corinthians e briga para garantir a vigência do acordo por mais quatro anos. Veja, abaixo, o trecho do contrato que prevê as comissões à Prowerful: (Por Pedro Lopes)

Corinthians - Clube árabe também quer observador do clube

Entre os membros mais antigos da comissão técnica do Corinthians, o observador técnico Mauro da Silva também teve o nome ligado à possível saída de Fábio Carille ao Al-Hilal. Caso o treinador corintiano opte por aceitar a oferta árabe, ele deve avançar na sequência para a discussão sobre os profissionais que o acompanhariam.

Mais UOL de Primeira