UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Por orientação da CBF, Canarinho deixa de ser "pistola" na Rede Globo

Lucas Figueiredo/CBF
Canarinho Pistola no vestiário da seleção brasileira; mascote perde o "apelido" por pedido da CBF Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

14/06/2018 04h00

Um dos maiores sucessos da seleção brasileira na atualidade, o Canarinho Pistola nem sempre aparecerá com o “nome completo”. Ao menos será assim em transmissões da TV Globo e dentro da CBF. Seguindo uma linha defendida pela confederação, a emissora tem evitado usar o termo “pistola” em transmissões e programas. A ideia é chamar a mascote apenas de Canarinho, pontuando seu jeito encrenqueiro e mal humorado, mas nunca “pistola”.

No entendimento da CBF, que defende que “Canarinho é o nome real” do bicho, a palavra que viralizou nas redes sociais se apresenta fora do tom, politicamente incorreta, associada a uma arma de fogo. E a Globo aceitou o discurso. No último jogo, em Viena, contra a Áustria, alguns profissionais chegaram a utilizar o termo, mas foram avisados para que não repetissem. Na quarta-feira (13), a apresentadora Ana Maria Braga citou algumas vezes o “pistola” durante um quadro de seu programa. O caso gerou ligações e novos pedidos para que evitem tal identificação com a mascote. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Seleção: Real toma dianteira pelo goleiro Alisson

Perto do prazo limite destacado para negociações, Alisson viu as conversas com Real Madrid aquecerem nos últimos dias. A De Primeira apurou que a Roma já autorizou um representante a conduzir negociações com o estafe do goleiro e o clube espanhol, que vive dias turbulentos pela polêmica que envolve a contratação do treinador Julen Lopetegui.

Mais UOL de Primeira

Topo