UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Após escolta para ir a jogos em 2014, Marin vê seleção pela TV em prisão

Brendan McDermid/Reuters
Na Copa no Brasil, Marin chegou a receber honras de chefe de Estado nos jogos da seleção Imagem: Brendan McDermid/Reuters
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

01/07/2018 04h00

Quatro anos depois de ir aos jogos da Copa do Mundo no Brasil escoltado por policiais federais, com honras de chefe de Estado, José Maria Marin agora assiste às partidas da seleção brasileira numa prisão em Nova York. A De Primeira apurou que o dirigente tem conseguido acompanhar a equipe de Tite pela TV.

O ex-presidente da CBF e do COL (Comitê Organizador Local de 2014) aguarda a definição de sua sentença pela condenação de crimes ligados a supostos subornos negados por ele. No dia 17 de agosto será anunciada a pena. Ele está em um centro de triagem onde os condenados ficam até terem suas sentenças decididas. Normalmente, nesses locais não há televisores nas celas, mas existem aparelhos em áreas de uso coletivo. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Antes da Bélgica, analista de Tite observa possível rival na semi

Um dos analistas de Tite, Maurício Dulac se desdobra para acompanhar possíveis adversários do Brasil na Copa do Mundo. No último sábado, Dulac permaneceu em Sochi e acompanhou a vitória do Uruguai sobre Portugal. Os uruguaios podem cruzar o caminho brasileiro em eventual semifinal em São Petersburgo.

Mais UOL de Primeira

Topo