UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Vice da CBF detona seleção e gera "climão" com famílias de jogadores

Daniel Marenco/Folhapress
Gustavo Dantas Feijó (à direita) comparece a evento na sede da CBF, no Rio de Janeiro (RJ) Imagem: Daniel Marenco/Folhapress
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

07/07/2018 04h00

O clima, que já era de tristeza, ficou ainda mais delicado durante a eliminação da seleção brasileira para a Bélgica, na última sexta-feira, em Kazan. Tudo por conta do comportamento do vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó, nas arquibancadas do estádio. No mesmo setor onde familiares de jogadores acompanhavam a derrota por 2 a 1, o cartola criticava em alto e bom som atletas e comissão técnica.

O “climão” estava formado. As pessoas próximas aos jogadores olhavam para Feijó incomodadas. O dirigente não diminuía o tom e não parecia se importar com a situação. Na metade final do segundo tempo, nova situação embaraçosa. O ex-coordenador da seleção Gilmar Rinaldi apareceu no setor e foi recebido com olhares incomodados dos familiares. Ele estava no estádio a convite de Sidney Oliveira, patrocinador da CBF, e acabou ganhando ingresso para um assento próximo. Depois da publicação da reportagem, Feijó entrou em contato com a reportagem para negar o ocorrido e afirmar que saiu abraçado com familiares de Roberto Firmino. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Seleção: Exame antidoping faz seleção esperar 4h no estádio

Os jogadores da seleção brasileira tiveram de esperar quatro horas para sair da Arena Kazan após a eliminação diante da Bélgica, nas quartas de final da Copa do Mundo. Por conta do exame antidoping de Thiago Silva, os jogadores só conseguiram voltar ao hotel às 3h (horário local), já com o céu claro no verão russo.

Mais UOL de Primeira

Topo