UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Tite ouviu filho auxiliar pedir Taison e discordou da saída de G. Jesus

Lucas Figueiredo/CBF
Matheus Bacchi (e), Tite e Fernando Lázaro conversam durante treino da seleção Imagem: Lucas Figueiredo/CBF
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

08/07/2018 04h00

Matheus Bacchi, filho e auxiliar de Tite, queria que a seleção brasileira tivesse a entrada de Taison no segundo tempo do jogo contra a Bélgica. Esse foi um dos pedidos via rádio durante a partida eliminou o Brasil nas quartas de final, segundo apurou a De Primeira. A comunicação de Matheus e do analista Fernando Lázaro se deu com o auxiliar Cléber Xavier ao longo do jogo. Matheus também insistiu, no comunicador, para que Douglas Costa fosse a campo, o que só aconteceu aos 12 minutos do segundo tempo.

O auxiliar ainda defendeu que Firmino, Neymar e Gabriel Jesus fossem mantidos ao lado de Douglas e não concordou com a saída de Jesus. O técnico, que muitas vezes compartilha das ideias do filho, não colocou em prática nenhuma dessas observações. A possibilidade de comunicação entre um auxiliar nas tribunas e um membro da comissão técnica foi uma novidade da Fifa esta Copa do Mundo. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques, João Henrique Marques, Pedro Ivo Almeida e Ricardo Perrone)

Eliminação coloca brasileiros em pré-temporada completa do PSG

Os jogadores da seleção que atuam no Paris Saint-Germain, Neymar, Marquinhos e Thiago Silva, fizeram acordo prévio com o clube por férias de 20 dias após o fim da participação do Brasil na Copa do Mundo. Com a queda nas quartas de final, os três jogadores vão participar da pré-temporada do time desde o início. No acordo, foi considerado que os 10 dias de folga na época de Natal e Ano Novo do ano passado seriam retirados do período total de 30 dias de férias.

Mais UOL de Primeira

Topo