UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Nike proibiu Neymar de rasgar meião durante a Copa do Mundo

André Mourão / MoWA Press
Neymar exibe meião rasgado durante a partida entre Brasil e Suíça; depois de dois jogos, Nike pediu para o jogador parar Imagem: André Mourão / MoWA Press
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo

21/09/2018 04h00

Os cortes triangulares feitos nos meiões por Neymar durante a última Copa do Mundo não agradaram a Nike, fornecedora de material da seleção brasileira e patrocinadora do atleta. A empresa avaliou como pejorativa a iniciativa tomada por conta própria antes dos jogos contra Suíça e Costa Rica. Antes do terceiro duelo, contra a Sérvia, representantes da marca conversaram com o estafe do craque e orientaram a proibição da ação.

Neymar usou uma tesoura para provocar rasgos nas meias. A alegação do jogador era de que os buracos na região da panturrilha diminuíam a pressão e evitavam cãibras, algo que a Nike garante não fazer sentido. O jogador seguiu as orientações, manteve as meias em situação normal nos jogos seguintes e evitou um desgaste maior com a empresa. (Por João Henrique Marques e Pedro Ivo Almeida)

Prioridade de vice da CBF é a eleição

Como o presidente da CBF, Antônio Carlos Nunes, não tem viajado para as reuniões da Conmebol pelo mal-estar causado por ter votado em Marrocos na eleição para sede da Copa do Mundo de 2026, e não na candidatura de EUA, México e Canadá, como combinado na América do Sul, os clubes brasileiros esperavam que Fernando Sarney, vice na CBF e representante da Conmebol na Fifa, pudesse ser o "cara" para atuar nos bastidores da entidade sul-americana. Pelo menos por enquanto, porém, isso não ocorre. Fernando Sarney está atarefado com a campanha de sua irmã Roseana (MDB) ao governo do Maranhão.

Mais UOL de Primeira

Topo