UOL de Primeira

Os bastidores do futebol em primeira mão

Advogados que defenderam Santos querem bloquear R$12 mi da venda de Rodrygo

Marco Galvão/FotoArena/Estadão Conteúdo
Rodrygo comemora gol do Santos contra o Vitória Imagem: Marco Galvão/FotoArena/Estadão Conteúdo
Exclusivo para assinantes UOL

Do UOL, em São Paulo, Rio de Janeiro e Londres (ING)

09/10/2018 04h00

O escritório de advocacia Bonassa Bucker, que atuou pelo Santos na negociação de acordo com o fundo Doyen, cobra R$ 12 milhões do alvinegro em honorários. Os advogados participaram da negociação que reduziu a cobrança do fundo de 51 milhões de euros para 27 milhões de euros – a economia corresponde a mais de R$ 100 milhões. Para garantir o pagamento, o escritório quer bloquear parte do que o Santos tem a receber pela venda de Rodrygo ao Real Madrid.

A cobrança não é a única que afeta o que o clube pode ganhar com a promessa. O empresário Giuliano Bertolucci também move uma ação de R$ 9 milhões. Se ambas tiverem êxito, o Santos deixaria de receber pelo R$ 21 milhões dos R$ 172 milhões totais da negociação. (Por Pedro Lopes)

Brasil quer jogo com Uruguai e faz força-tarefa por europeus

Criticada pelo nível dos adversários nos primeiros jogos após a Copa do Mundo da Rússia, a seleção brasileira se movimenta para enfrentar países de maior expressão nos próximos meses. Após a janela Fifa contra Arábia Saudita e Argentina nos próximos dias, a CBF tem negociação encaminhada para enfrentar o Uruguai nas datas de novembro - provavelmente na Europa. Para março de 2019, a prioridade absoluta é enfrentar europeus.

Mais UOL de Primeira

Topo