10 curiosidades que você talvez não saiba sobre a história do Santos

Do UOL, em São Paulo

O Santos completa 105 anos nesta sexta-feira com uma história repleta de títulos e craques que saíram da Vila para brilhar mundo afora. Mas a trajetória do clube praiano também tem alguns capítulos menos conhecidos e alguns números curiosos. É o que você confere no levantamento abaixo:

Divulgação/Nike
Divulgação/Nike

1

Nasceu tricolor

O Santos não é alvinegro desde o início de sua história. Quando o clube foi fundado em abril de 1912, ficou definido que as cores oficiais da equipe eram azul e branco com detalhes dourados. A combinação de preto e branco só se tornou a principal do Santos em março de 1913. Mas o azul às vezes é usado no terceiro uniforme ou no de treino.

2

Globo no distintivo

O primeiro escudo oficial do Santos tinha um globo. O distintivo original do clube era um globo bem trabalhado que mostrava o mapa do mundo colorido. Sobre ele, havia um escudo preto e branco, com listras verticais, e acima delas uma bola de futebol laranja com as iniciais SFBC (Santos Foot-Ball Club).
Folhapress
Folhapress

3

Menino e parceiro de Pelé

Um dos principais companheiros de Pelé, Coutinho se tornou o jogador mais jovem a vestir a camisa do Santos como profissional em 1958. Ele tinha 14 anos e 11 meses quando participou da goleada por 7 a 1 sobre o Sírio Libanês (GO).
Creative Commons
Creative Commons

4

Titanic e o iceberg

O dia em que o Santos foi fundado também foi marcado por um desastre marítimo muito famoso. Foi no dia 14 de abril de 1912 que o navio Titanic se chocou contra um iceberg no Atlântico Norte em sua primeira viagem oficial e protagonizou um dos naufrágios mais conhecidos.

5

Treinador gringo

Diversos relatos da época apontam que o primeiro treinador do Santos foi o irlandês Harold Cross. Conhecido como um dos melhores jogadores da cidade naquele tempo e presente na fundação do Santos, Cross atuou pelo time até 1915, mas antes disso fez as vezes de técnico no amadorismo.
Reprodução
Reprodução

6

Time viajado

O Santos era um dos times brasileiros mais requisitados para excursões pelo mundo, principalmente na época de Pelé. E isso fez o clube se tornar o primeiro do país a jogar nos cinco continentes: Américas, Ásia, África, Europa e Oceania.
UH/Folhapress
UH/Folhapress

7

Os 5 maiores públicos

Hoje em dia, esses números são inimagináveis, mas os cinco maiores públicos da história do Santos superam as 120 mil pessoas. O primeiro da lista foi na partida contra o Milan, no Mundial de 1963, com mais de 132 mil pessoas presentes no Maracanã. Os outros aconteceram diante de Palmeiras, São Paulo e Corinthians, no Morumbi, e contra o próprio Milan, novamente no Maracanã.
Louisa Gouliamaki
Louisa Gouliamaki

8

No hino do adversário

O Santos é citado no hino oficial do Olympiacos. Isso porque uma vitória do time grego por 2 a 1 sobre o Santos, em 1961, foi tão marcante para a história dos europeus que eles incluíram um verso que diz: "Eles ainda lembram do seu nome, o Santos de Pelé". No restante do trecho, o hino afirma que os adversários tremem ao ouvir o nome do Olympiacos.
Reprodução
Reprodução

9

Pelé também errava

O Rei do Futebol e ídolo santista também tinha seus momentos de dificuldade em campo. Levantamentos apontam que Pelé já errou 23 pênaltis com a camisa do Santos, incluindo chutes para fora, bolas na trave e defesas dos goleiros adversários.

10

Chuva de gols, mas sem título

O famoso ataque dos 100 gols no Campeonato Paulista de 1927 não garantiu ao Santos o título estadual daquele ano. Formado por Omar, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista, o ataque que fez 100 gols em 16 jogos foi vice-campeão paulista, ficando atrás do Palmeiras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos