20 atletas desprestigiados no ano passado e que viraram estrelas em 2017

Do UOL, em Santos (SP)

  • REUTERS/Agustin Marcarian

    Fernandinho comemora gol do Grêmio diante do Lanús no jogo de volta da final da Libertadores

    Fernandinho comemora gol do Grêmio diante do Lanús no jogo de volta da final da Libertadores

Dar a volta por cima. A lista que o UOL Esporte preparou desta vez diz respeito aos jogadores que conseguiram esta proeza do ano passado para cá. Jogadores que estavam desprestigiados na temporada passada e foram destaques no ano de 2017. Como não podia deixar de ser, o Grêmio comandado por Renato Gaúcho, campeão da Libertadores e finalista do Mundial de Clubes, é o time com mais aparições na seleção abaixo. Confira:

20 JOGADORES QUE VIRARAM 'ESTRELAS' EM 2017

Thomás Santos/AGIF
Thomás Santos/AGIF

Bruno Henrique (Santos)

Estava apagado no futebol alemão e renasceu com a chegada ao Santos, especialmente a partir do segundo semestre de 2017. Foi o artilheiro do time na temporada (18 gols) e o líder de assistência do Campeonato Brasileiro (11 passes para gol).
Thiago Ribeiro/AGIF
Thiago Ribeiro/AGIF

Alison (Santos)

Praticamente não jogou em 2016, mas a troca de técnicos (saída de Dorival e chegada de Levir Culpi) mudou completamente a sua vida no Santos em 2017. Foi ganhando a posição aos poucos e fechou a temporada como titular absoluto do meio-campo ? fez 43 jogos.
Daniel Augusto Jr - Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr - Agência Corinthians

Lucas Veríssimo (Santos)

Jogou apenas três partidas do Brasileirão de 2016 e viu Cléber Reis ser contratado pelo Santos para, a princípio, ser titular. Em 2017, porém, ganhou confiança, deixou o concorrente no banco de reservas (Cléber foi emprestado ao Coritiba) e encerrou a temporada em alta e como titular absoluto, inclusive com clubes europeus o sondando.
Ricardo Rímoli/AGIF
Ricardo Rímoli/AGIF

Fernandinho (Grêmio)

De reserva no Flamengo a um dos personagens que ficarão marcados na história do Grêmio. Assim pode ser resumida a mudança de 2016 para 2017 na carreira de Fernandinho, responsável por abrir o placar no segundo jogo da final da Libertadores, contra o Lanús. Outro que virou titular absoluto no time de Renato Gaúcho.
Jeferson Guareze/AGIF
Jeferson Guareze/AGIF

Bruno Cortez (Grêmio)

Esquecido no Japão em 2016, virou titular absoluto no time de Renato Gaúcho e vem sendo um dos destaques do Grêmio na vitoriosa temporada. Foi um dos melhores da equipe na semifinal contra o Pachuca.
LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Léo Moura (Grêmio)

Depois de cair para a Série B com o Santa Cruz, em 2016, acertou com o Grêmio no começo deste ano e é peça importante no time campeão da Libertadores. Não é considerado titular, mas já foi aproveitado em 41 partidas da temporada pelo técnico Renato Gaúcho ? inclusive entrou na semifinal do Mundial, contra o Pachuca.
Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Jael (Grêmio)

Foi, aos poucos, ganhando a confiança de Renato Gaúcho. O atacante, que em 2016 passou pelo Japão e estava no Joinville, teve importante participação no gol do primeiro jogo da final da Libertadores, contra o Lanús, ao desviar de cabeça e deixar Cícero livre para balançar as redes. Voltou a ser utilizado por Renato Gaúcho diante do Pachuca, no Mundial.
REUTERS/Diego Vara
REUTERS/Diego Vara

Cícero (Grêmio)

Mais uma das apostas de Renato Gaúcho que deram certo. Apesar de titular do Fluminense no ano passado, deu uma guinada na carreira ao deixar o São Paulo no meio do ano e acertar com o Grêmio. Fez o gol decisivo do primeiro jogo da Libertadores, contra o Lanús.
Luis Acosta/AFP
Luis Acosta/AFP

César (Flamengo)

Aproveitou, e bem, o problema que o Flamengo teve com goleiros ao longo da temporada. Substituiu o contestado Muralha e deu a segurança que o time precisava no gol. Viveu noite de herói no jogo contra o Junior Barranquilla, pelas semifinais da Sul-Americana, ao pegar um pênalti e classificar o Fla para a decisão.
Buda Mendes/Getty Images
Buda Mendes/Getty Images

Lucas Paquetá (Flamengo)

Meio-campista rubro-negro jogou pouco mais de 20 minutos em 2016. Já nesta temporada, jogou 37 partidas (sendo 17 como titular) e foi conquistando espaço a cada partida. Inclusive, foi titular nas duas finais contra o Independiente, pela Sul-Americana, deixando o badalado Éverton Ribeiro no banco de reservas na segunda partida.
Ale Cabral/AGIF
Ale Cabral/AGIF

Gabriel (Corinthians)

Deixou o Palmeiras sem alarde e com poucas oportunidades na equipe que fora campeã brasileira com Cuca. Maior investimento do Corinthians no ano, ele se tornou um jogador querido pela torcida em função da dedicação em campo e ajudou Carille a recuperar a estabilidade defensiva.
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Balbuena (Corinthians)

Passou por maus bocados no segundo semestre de 2016 e teve a saída pedida por muitos torcedores do Corinthians. Bem avaliado internamente, começou a nova temporada como titular e terminou eleito como melhor zagueiro do Brasileirão ao lado do gremista Geromel.
Rubens Chiri/Site São Paulo
Rubens Chiri/Site São Paulo

Luiz Araújo (São Paulo/Lille)

Foi promovido ano passado, mas jogou pouco e era criticado. Virou o melhor do time, exaltado pela torcida do SP e acabou vendido no meio do ano. Sete gols e cinco assistências em 26 jogos nesta temporada.
Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Henrique Dourado (Fluminense)

Contratado na metade de 2016 pelo Fluminense após passagem pelo Vitória de Guimarães (Portugal), encerrou o ano passado com apenas dois gols em 12 jogos do Brasileirão. Em 2017, foi o grande nome do time carioca e terminou o Brasileirão como artilheiro, com 18 gols.
Ricardo Duarte/Inter
Ricardo Duarte/Inter

D'Alessandro (Internacional)

Esteve no River e voltou sob desconfiança por causa da idade (hoje está com 36 anos). Terminou 2017 como líder de assistências do Inter e conduziu o time de volta à Série A.
Ricardo Duarte/Divulgação
Ricardo Duarte/Divulgação

Leandro Damião (Internacional)

Era reserva do Flamengo, terminou a temporada eleito 'mais importante' do Internacional.
Ricardo Duarte/Divulgação
Ricardo Duarte/Divulgação

Klaus (Internacional)

Era apenas um jogador do Juventude. Virou titular do Inter, foi comprado e renovou por três anos.
Thiago Ribeiro/AGIF
Thiago Ribeiro/AGIF

Thiago Carleto (Coritiba)

Sumido em 2016, ano que passou por XV de Piracicaba e Arouca (Portugal), foi contratado pelo Coritiba após bom Campeonato Paulista pelo Linense. Apesar do rebaixamento, foi um dos destaques do time alviverde e terminou 2017 com o prêmio Bola de Prata da ESPN. Acertou com o rival Atlético-PR.
Heuler Andrey/AFP
Heuler Andrey/AFP

Felipe Gedoz (Atlético-PR)

Era banco do Club Brugge (Bélgica) no ano passado e hoje se tornou um dos ídolos do Atlético-PR. Marcou três gols na Libertadores 2017 e mais três no Brasileiro.
Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Léo (Cruzeiro)

Amargou o banco de reservas na temporada 2016 e deixaria o Cruzeiro se dependesse do técnico Paulo Bento- chegou a ser oferecido a Corinthians e América-MG. Com Mano Menezes, a história mudou. Ganhou moral e disputou 55 jogos em 2017, todos como titular.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos