5 brasileiros que estão na Europa para seu time contratar por empréstimo

Rafael Reis

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Sabe aquele jogador que foi para a Europa por uma fortuna, ainda não deu certo por lá, mas que é caro demais para ter seus direitos econômicos adquiridos por um time brasileiro e voltar para casa?

Repatriações como essa normalmente só são possíveis por empréstimo. Ou seja, o clube com quem o atleta possui vínculo o libera para atuar por um tempo determinado por outra equipe, que assume o pagamento do seu salário integral ou parcial.

Listamos abaixo cinco jogadores que atendem aos critérios citados acima e podem (ou poderiam) ser emprestados ao futebol brasileiro em 2017.

Quem pode ser repatriado

AFP / GIUSEPPE CACACE
AFP / GIUSEPPE CACACE

Gabigol - Inter de Milão (ITA)

Talvez o grande nome disponível para times brasileiros na janela de transferências de janeiro. O atacante trocou o Santos pela Inter de Milão depois da conquista do ouro olímpico, em agosto, mas só disputou três partidas (22 minutos) na Itália desde então. Seu clube formador e o Atlético-MG estão de olho em Gabigol e gostariam de repatriá-lo, mas concorrem com outros times da Europa, como Sampdoria e Genoa. De acordo com seu empresário, Wagner Ribeiro, o brasileiro não jogará em “time pequeno”.
Javier Soriano/AFP Photo
Javier Soriano/AFP Photo

Lucas Silva - Real Madrid (ESP)

Após exames médicos realizados no meio do ano terem detectado uma anomalia em seu coração e rumores de que poderia encerrar a carreira, o volante foi submetido a uma nova bateria de testes e acabou liberado pelo departamento médico do Real Madrid para voltar aos treinos. Apesar disso, dificilmente será utilizado pelo técnico Zinedine Zidane. No primeiro semestre, o Cruzeiro, clube que o revelou, já havia mostrado interesse em contratá-lo por empréstimo.
EFE/EPA/CIRO FUSCO
EFE/EPA/CIRO FUSCO

Rafael Cabral - Napoli (ITA)

Ex-goleiro da seleção brasileira, está esquecido no banco de reservas do Napoli, clube pelo qual não disputa uma única partida oficial desde fevereiro de 2015. Tem contrato até 2018 e ainda pode dar a volta por cima no clube italiano. Mas, para isso, precisa de oportunidade para jogar, algo que poderia vir com um empréstimo. No ano passado, chegou a ser oferecido para o São Paulo, mas o negócio não avançou.
AFP PHOTO / FRANCISCO LEONG
AFP PHOTO / FRANCISCO LEONG

Elias - Sporting (POR)

Elias certamente abriu um sorriso ao saber que Tite seria o novo técnico do Brasil. Só que para retornar à seleção, é necessário bem mais do que um gol em 13 partidas (a maioria delas saindo do banco de reservas) no Sporting. Desde que voltou ao clube português, em agosto, depois de dois anos no Corinthians, o meia tem ficado mais tempo na suplência do que dentro de campo, o que prejudica qualquer plano de crescimento profissional que possui.
Filippo Monteforte/AFP
Filippo Monteforte/AFP

Gerson - Roma (ITA)

Assim como Gabigol, chegou à Itália muito novo e tem passado muito tempo no banco de reservas. Ao contrário do ex-atacante do Santos, o meia de 19 anos parece estar lidando bem com essa situação de aprendizado. Mas isso não significa que o ex-jogador do Fluminense não queira jogar com mais frequência. Um retorno ao Brasil por seis meses lhe daria ritmo de jogo e experiência para voltar com mais força à Roma.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos