Topo

Futebol


A camisa 7 do Manchester United está amaldiçoada? Veja outros casos

Laurence Griffiths/Getty Images
Imagem: Laurence Griffiths/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

05/10/2018 04h00

O mau começo do Manchester United no Campeonato Inglês reforçou a crença de que existe uma maldição no clube: nenhum jogador consegue brilhar com a camisa 7 desde Cristiano Ronaldo. Em 2003, o português herdou o número que foi de lendas como George Best, Bryan Robson, Éric Cantona e David Beckham. Até 2009, conseguiu manter essa mística.

Depois que Ronaldo foi para o Real Madrid, a camisa 7 dos Red Devils começou a rodar entre jogadores que não tiveram o mesmo sucesso no clube: Michael Owen, Antonio Valencia, Ángel Di María, Memphis Depay... O último a se arriscar com ela é o chileno Alexis Sánchez, que vive jejum de gols e tem frequentado o banco.

Será apenas uma coincidência? Existem outros casos de camisas místicas "zicadas" por um tempo. Mas o futebol já mostrou que nenhuma dessas maldições são eternas. Veja alguns exemplos: 

  • 9 do Chelsea

    Para se ter uma ideia do tamanho da "zica", o atacante Alvaro Morata pediu para deixar de usar a camisa 9 neste temporada. Agora, ele veste a 29. O "número do centroavante" não tem dado muita sorte no Chelsea. Entre os jogadores que tentaram usá-lo estão Crespo, Torres e Falcao Garcia, que não emplacaram na posição. Até mesmo o zagueiro Khalid Boulahrouz já adotou a 9 do Chelsea em 2007, quando nenhum outro jogador quis usá-la.

  • Reprodução/Twitter

    7 do Sporting

    Não, Cristiano Ronaldo não usava este número quando jogou no Sporting entre 2001 e 2003. O craque vestia a camisa 28. Sorte dele, porque desde a saída de Figo, em 1995, ninguém consegue ter sucesso com a camisa 7 do clube português. O último foi Rúben Ribeiro, que rescindiu o contrato depois da invasão de torcedores ao CT do clube. Antes dele, o costarriquenho Joel Campbell (foto) também passou batido. A maldição começou com Sá Pinto, que assumiu a camisa que era de Figo, mas deixou o clube após agredir o técnico. No retorno ao Sporting, em 2000, ele voltou a escolher a 7... E sofreu uma grave lesão. Quando resolveu trocar pela 10, sagrou-se campeão.

  • Fernando Soutello/Agif

    7 do Botafogo

    A camisa de Garrincha, Jairzinho e Túlio Maravilha só voltou a ter algum brilho em 2007, com Dodô. Depois disso, o número que era místico acabou rodando entre vários jogadores que não tiveram a mesma sorte: Jorge Henrique, Reinaldo, Maicosuel, Vitor Júnior, Bruno Mendes, Emerson Sheik, Montillo... Nesta temporada, a camisa já foi usada por sete jogadores, e quem mais se destacou com ela foi Rodrigo Pimpão.

  • Jorge Araújo/Folhapress

    11 do Vasco

    Aposentada por Eurico Miranda em 2007 para homenagear Romário, voltou a ser usada assim que Roberto Dinamite assumiu o clube. O primeiro a vesti-la foi o atacante Leandro Amaral: poucos gols, uma grave contusão e o rebaixamento para a Série B. Em 2009, a 11 ficou com Rodrigo Pimpão, que também sofreu com lesões. Até mesmo em 2011, quando o Vasco montou um forte elenco, a maldição continuou: Jéferson mal jogou e acabou emprestado. Em 2012, o equatoriano Carlos Tenorio passou mais tempo no DM do que em campo, e o azar da camisa continuou nos anos seguintes. Atualmente, o dono da 11 é o argentino Máxi López. Será que a "zica" acaba?

  • Danilo Verpa/Folhapress

    10 e 30 do Palmeiras

    Felipe Melo desafiou um tabu ao escolher esta camisa. Depois de Kléber Gladiador, os jogadores que usaram a 30 não deixaram saudades: Bruno César, Alan Patrick, Fellype Gabriel, Régis... Será que o "Pitbull" já derrubou essa lenda? Outro número "zicado" no Palmeiras foi o 10, que era usado por Valdivia. Depois do chileno, os jogadores que herdaram a camisa, como Cleiton Xavier e Lucas Barrios, passaram a sofrer com lesões. Moisés esteve entre eles, mas continuou usando a 10 e tem sido uma peça importante do time.

  • REUTERS/Phil Noble

    9 do Liverpool

    Depois da saída de Fernando Torres, em 2011, o Liverpool passou por uma "seca" de camisas 9: Andy Carrol, Iago Aspas, Rickie Lambert e Christian Benteke fizeram os Reds pensarem que o número estava amaldiçoado. Nenhum deles esteve à altura da camisa que consagrou Ian Rush e Robbie Fowler. Até que Roberto Firmino cedeu a 11 para Salah e assumiu a 9 para tentar enterrar de vez esta maldição.

  • Denis Doyle/Getty Images

    10 do Real Madrid

    Depois que herdou a camisa 10 do Real Madrid, Luka Modric foi eleito o melhor jogador do mundo e marcou o fim de uma maldição que se estendia desde a saida de Luís Figo, em 2005. Robinho, Sneijder, Özil e James estão entre os jogadores que decepcionaram usando a camisa 10 merengue. Treze ano depois, Modric espantou a "zica" com grandes atuações que levaram o time a mais um título da Liga dos Campeões.

Mais Futebol